Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1006
Título: Efeito das interacções adenosina-angiotensina II sobre a depuração renal num modelo experimental de diabetes
Autor: Patinha, Daniela Souto
Palavras-chave: Nefropatia diabética
Adenosina
Angiotensina II
Angiotensina II - Nefropatia diabética
Data de Defesa: Set-2008
Editora: Universidade do Porto
Resumo: A nefropatia diabética é a principal causa de falência renal e, consequentemente, factor determinante de morbilidade e mortalidade relacionada com a diabetes mellitus (DM). No estado inicial da DM verifica-se hiperfiltração glomerular. A função glomerular pode ser estimada pela quantificação da taxa de filtração glomerular (GFR). A adenosina regula a GFR, modula o sistema renina-angiotensina (RAS) e o mecanismo de feedback tubuloglomerular. A actividade do RAS renal encontra-se aumentada na nefropatia diabética e contribui para a lesão progressiva da barreira de filtração glomerular. O bloqueio do RAS constitui uma abordagem terapêutica fundamental em doentes diabéticos. O efeito inibitório da adenosina sobre o RAS pode ser importante neste contexto, podendo a adenosina constituir um importante novo alvo terapêutico no contexto da nefropatia diabética. Foram objectivos deste trabalho a implementação de uma metodologia para quantificar a GFR, caracterizar os efeitos da 2-cloroadenosina (2CADO), um análogo estável da adenosina, sobre a função de renal de ratos com diabetes experimental induzida por injecção de estreptozotocina, e relacioná-los com a actividade do RAS renal. Da implementação da metodologia para quantificar a GFR, foi possível concluir que o melhor método inclui a injecção intravenosa de inulina radioactiva ou fluorescente e determinação do time-course do decaimento no plasma. A administração intraperitoneal de 2CADO aos ratos diabéticos atenuou o não aumento de peso corporal e o aumento da ingestão de comida e bebida, e da excreção de urina. Além disso, atenuou a excreção urinária de glicose e de ureia e normalizou a excreção urinária de proteínas. Os ratos diabéticos apresentaram uma excreção urinária da angiotensinogéneo superior à dos ratos controlo e a 2CADO não alterou este resultado. Os resultados com a 2CADO demonstram a sua influência benéfica na nefropatia diabética. Estes efeitos da 2CADO podem estar relacionados com a capacidade para baixar a glicemia e melhorar a resistência à insulina mas também com efeitos renais directos e indirectos. São necessários, no entanto, estudos mais aprofundados para avaliar se a interacção adenosina/Ang II participa nesta renoprotecção indirecta.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1006
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.