Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1011
Título: Estudo retrospectivo das crises convulsivas na fase aguda do AVC no ano de 2008 : frequência e implicações clínicas
Autor: Oliveira, Catarina Andreia Ramos
Palavras-chave: Acidente vascular cerebral
Acidente vascular cerebral - Factores de risco
Acidente vascular cerebral isquémico
Acidente vascular cerebral hemorrágico
Enfarte
Epilepsia
Fármacos anti-epilépticos
Data de Defesa: Mai-2009
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: Os Acidentes Vasculares Cerebrais são um grave problema de saúde pública. Trata-se de uma doença súbita que tem sido reconhecida como um factor de risco para o desenvolvimento de crises convulsivas e epilepsia secundária, identificada como a causa mais frequente nos idosos. A maioria das convulsões ocorre nas primeiras 24h após o AVC. O objectivo do trabalho é determinar a frequência das crises nos doentes internados com o diagnóstico de AVC agudo na U-AVC do CHCB e seu perfil. Materiais e métodos: Estudo retrospectivo, do ano de 2008, por consulta de processos clínicos dos doentes admitidos na U-AVC do CHCB, com o diagnóstico de AVC agudo e que apresentaram crises após o AVC. Efectuou-se uma análise descritiva dos casos. Resultados: Dos 257 doentes internados na U-AVC com diagnóstico confirmado de AVC, foram presenciadas crises convulsivas em 6 doentes, 2 do sexo feminino e 4 do sexo masculino, com uma frequência total de 2,33%. Os 6 doentes sofreram enfarte isquémico, registando uma frequência de 2,91% relativamente a este grupo, sendo 4 deles de origem cardioembólica, um aterotrombótico e o restante de causa indeterminada. Também 4 deles apresentaram localização cortico-subcortical e os outros dois, subcortical. As crises apresentadas foram, na sua maioria, parciais simples, e manifestaram-se nas primeiras 24h após o ingresso hospitalar. Exames de imagem de controlo e EEG foram realizados em 3 dos doentes e todos eles foram tratados com fármacos anti-epilépticos. Discussão/conclusões: A frequência de convulsões pós AVC apresentada pelos doentes admitidos na U-AVC está de acordo com alguns estudos, mas não com a maioria, que sugerem a ocorrência de uma frequência superior, assim como o facto das crises estarem descritas apenas em doentes que sofreram AVC isquémico, já que a maior parte dos dados sugere que estas ocorrem mais frequentemente após AVCs hemorrágicos. Em relação à localização, os enfartes afectaram tanto a zona cortical quanto a subcortical na sua maioria, e tiveram como origem mais comum, a cardioembólica, o que está de acordo com a literatura. Relativamente às crises convulsivas, estas manifestaram-se mais por crises parciais simples, tendo sido tratadas com um FAE.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1011
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tesecatarinaoliveira.pdf2,19 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.