Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1018
Título: O circuito do medicamento nos lares de idosos
Autor: Rosa, Mariana Anastácio Fonseca
Palavras-chave: Idosos institucionalizados - Medicamentos - Qualidade de prescrição
Lares - Idosos - Circuito do medicamento
Data de Defesa: Out-2011
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: O envelhecimento da população é uma realidade demográfica que inevitavelmente tem repercussões na sociedade. O aumento do número de idosos institucionalizados é sem dúvida um exemplo disso. As características demográficas e clínicas diferem entre os idosos institucionalizados e os que vivem na comunidade. A presença de múltiplos diagnósticos e o consumo de um elevado número de fármacos, são factores que frequentemente se combinam nos idosos institucionalizados e que, junto com as alterações fisiológicas do envelhecimento, os expõem a um maior risco de problemas relacionados com a medicação, tendo sido descrito que muitos desses mesmos problemas podem ser prevenidos. Os problemas relacionados com a medicação podem ocorrer em qualquer momento do circuito do medicamento, desde a prescrição até à administração dos fármacos e monitorização dos resultados, e estão associados a um aumento substancial nas taxas de morbimortalidade. Com este estudo pretende-se conhecer o consumo de medicamentos dos idosos institucionalizados, o circuito do medicamento nos lares e ainda avaliar a qualidade de um dos seus principais pontos críticos: a prescrição. Neste estudo apurou-se que, em média, cada utente tem prescrito 8,1 fármacos. De entre os mais prescritos destacam-se os fármacos com acção no sistema nervoso (86,7%), no aparelho cardiovascular (80,1%) e no aparelho digestivo e metabolismo (75,8%). Dos fármacos com acção no sistema nervoso os ansiolíticos e os antipsicóticos são os que apresentam maior expressão, sendo que é também nestas duas classes que se observa uma maior percentagem de utentes que tomam dois fármacos da mesma classe. A prescrição de fármacos para administração “se necessário” é considerável. Verificou-se que a percentagem de utentes que apresenta no mínimo uma prescrição potencialmente inapropriada (PPI) é de 55,9%. Entre as prescrições potencialmente inapropriadas destaca-se a utilização de fármacos com efeitos anticolinérgicos (25,8%) e ainda o uso concomitante de três ou mais psicofármacos (17,6%). Foi ainda possível confirmar a existência de uma relação proporcional entre número de fármacos prescritos e a prescrição de fármacos potencialmente inapropriados. Com base nos critérios de avaliação da prescrição usados foi detectado um elevado número de prescrições inapropriadas.Este trabalho permitiu caracterizar o consumo de medicamentos pela população idosa institucionalizada, descrever o circuito do medicamento nos lares e avaliar a qualidade da prescrição.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1018
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MARIANA.pdf1,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.