Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1033
Título: Estudo retrospectivo populacional da doença inflamatória intestinal na área da Cova da Beira
Autor: Vieira, Marina dos Santos
Palavras-chave: Doença inflamatória intestinal
Doença de Crohn - Factores de risco - Tratamento
Colite ulcerosa - Factores de risco - Tratamento
Cancro colorectal - Factores de risco - Tratamento
Data de Defesa: Jun-2009
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A Doença Inflamatória Intestinal (DII) inclui a Doença de Crohn (DC), a Colite Ulcerosa (CU) e a Colite Indeterminada (CI). Os objectivos deste estudo retrospectivo são: caracterizar a população da área de influência do Centro Hospitalar Cova da Beira (CHCB), descrever as características epidemiológicas dos doentes com DII, avaliar se existe uma associação entre os doentes com DC e a facto de ser fumador, averiguar se existe uma associação entre a presença de manifestações extra-intestinais e o facto de ter DC. Para a realização deste estudo retrospectivo foram incluídos 36 doentes, escolhidos de forma aleatória sistemática, acompanhados na Consulta Externa de DII do Centro Hospitalar Cova da Beira com o diagnóstico de DII previamente estabelecido. O método de amostragem utilizado foi a amostragem aleatória sistemática. Procedeu-se ao levantamento de dados demográficos a partir do estudo dos processos clínicos dos respectivos pacientes. As idades apresentam uma distribuição assimétrica positiva registando-se uma média de 42,47 anos com desvio padrão de 17,252 anos. O estudo mostrou que 42,1% das mulheres sofrem de CU. A DC tem a mesma prevalência em ambos os sexos. Segundo a classificação por Concelhos, os 36 doentes pertenciam a 6 Concelhos: Fundão, Covilhã, Belmonte, Sabugal, Penamacor e Guarda. Neste estudo, os fumadores são mais frequentes no grupo que sofre de DC e evidenciou-se também que os doentes com CU fumam menos do que os doentes com DC. Ao nível de significância estatística de 5%, concluímos que não existe associação entre o facto de ter DII e ser fumador. (Teste do Quiquadrado p=0,392). Relativamente a presença de doença extra-intestinal, identificaram-se 58,33% dos doentes com manifestações extra-intestinais sendo estas manifestações mais frequentes na DC. Com nível de significância estatística de 5%, concluímos que não existe uma associação entre o facto de ter DC e apresentar mais frequentemente manifestações extra-intestinais (p=0,343 Teste do Quiquadrado). Este estudo retrospectivo populacional permitiu caracterizar a população com DII na área da Cova da Beira, podendo concluir-se que não existe associação entre o facto de ser fumador e de ter DC. Concluiu-se igualmente que não existe associação entre a presença de manifestações extra-intestinais e o facto de ter DC.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1033
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestradoinicio.pdfCapa40,09 kBAdobe PDFVer/Abrir
ÍNDICE MESTRADO.pdfÍndice111,05 kBAdobe PDFVer/Abrir
Tese de MestradoFinal.pdfTese744,52 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.