Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1046
Título: Prova de esforço na dor torácica e seus diagnósticos
Autor: SIlveira, Ana Carolina da Rosa
Palavras-chave: Dor torácica
Dor torácica - Prova de esforço - Diagnóstico
Doença coronária - Prevenção
Enfarte do miocárdio - Prevenção
Data de Defesa: Mai-2011
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A dor torácica representa um dos desafios mais comuns para os médicos. A incapacidade de reconhecer certos distúrbios pode resultar em complicações graves. Por outro lado, o tratamento excessivo de pacientes de baixo risco pode originar internamentos, exames, procedimentos e ansiedade desnecessários. A avaliação de um paciente com dor torácica deve preocupar-se em definir o diagnóstico e avaliar a segurança da instituição de um plano terapêutico. A prova de esforço pode ser ponderada em pacientes de baixo risco, bem como a alguns pacientes de risco intermediário. Neste trabalho pretendeu-se analisar a aplicabilidade prática da realização da Prova de Esforço na Dor Torácica, distribuindo por sexo e grupos etários a presença de Doença Coronária e tratamentos efectuados a pacientes que realizaram Prova de Esforço com queixas de Dor Torácica no decorrer do ano de 2009. Este é um estudo observacional retrospectivo de carácter documental. Foram seleccionados 154 pacientes que realizaram prova de esforço em 2009 por indicação de Dor Torácica. Os dados obtidos foram tratados com os programas SPSS Statistics 18.0 (Statistical Package for the Social Sciences) e Microsoft Office Excel 2007. A distribuição etária da amostra variou desde os 20-30 anos aos 81-85 anos de idade, sendo 50,65% do sexo feminino. De 154 pacientes em análise: 110 (71,43%) obtiveram resultado Negativo, 21 (13,64%) resultado Positivo e os restantes 23 (14,94%) resultado Inconclusivo. Dos 44 pacientes com resultado Positivo ou Inconclusivo, 19 realizaram Ecocardiograma (43,1%), 10 a Cintigrafia de Perfusão Miocárdica (22,7%), 5 a TC-Cardíaca (11,3%) e 11 o Cateterismo Cardíaco (25,0%) como exames complementares de diagnóstico. Dos pacientes em estudo, 13 doentes após resultado Positivo ou Inconclusivo na Prova de Esforço, não realizaram nenhum exame complementar de diagnóstico. Houve confirmação de Doença Coronária em 10 pacientes. A confirmação de ausência de Doença Coronária por exames complementares de diagnóstico foi igual no Sexo Masculino e Feminino, havendo 6 pessoas de cada sexo que se mostraram assim Falsos Positivos na Prova de Esforço. Dos 10 doentes com Doença Coronária confirmada, 4 realizaram Terapêutica Médica e outros 4 Terapêutica Médica e Angioplastia Coronária Transluminal Percutânea. Os restantes 2 doentes não apresentavam nenhum registo de terapêutica. Com o presente estudo, pretendia-se confirmar um padrão preditivo, ou de probabilidade, da Prova de Esforço ser positiva em um paciente aleatório do Centro Hospitalar Cova da Beira, tendo como referência o sexo e o escalão etário. Os resultados não foram conclusivos por insuficiência de dados.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1046
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao Mestrado - ANA CAROLINA pdf.pdf907,87 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.