Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1152
Título: Asma e sintomas de hiperatividade e défice de atenção em crianças dos 6 aos 10 anos
Autor: Zlamalik, Patrícia Oliveira
Palavras-chave: Asma
Hiperactividade - Crianças
Défice de atenção - Crianças
Data de Defesa: Mai-2012
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: A asma é a doença crónica mais prevalente em idade pediátrica. Recentemente alguns estudos têm sugerido uma relação entre asma e sintomas de perturbação de hiperatividade e défice de atenção (PHDA), embora as causas desta associação ainda não sejam conhecidas. Propusemo-nos verificar se sintomas de hiperatividade e défice de atenção surgem mais frequentemente em crianças asmáticas quando comparadas com crianças da mesma idade sem essa patologia. Pretendeu-se ainda explorar a influência de algumas variáveis clínicas no aparecimento daqueles sintomas. Materiais e Métodos: Estudo transversal onde foi feita a avaliação clínica de um grupo de crianças asmáticas com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos, selecionadas de forma acidental, seguidas numa consulta de Pediatria do Centro Hospitalar do Porto (CHP), que incluiu a aplicação da versão portuguesa das Escalas de Conners para identificar sintomas de hiperatividade e défice de atenção, a pais e professores, e sua comparação com um grupo de controlo. O controlo da asma foi avaliado pelo Control of Allergic Rhinitis and Asthma Test (CARAT). A análise quantitativa dos dados foi efetuada através dos testes estatísticos do Qui-quadrado, teste T-student, Mann-Whitney U, Kruskall-Wallis, análise de Bland-Altman da concordância entre métodos, os testes de correlação de Pearson e de Spearman e cálculo do Odds Ratio. Resultados: Foram avaliadas 44 crianças asmáticas e 53 crianças saudáveis. A média de idades foi de 8,2 anos no grupo de asmáticos e de 7,6 no grupo de controlo. O número de resultados anormais na escala de Conners foi superior no grupo de asmáticos (p=0,037), ao nível do índice de hiperatividade e défice de atenção (IDAH), segundo os professores, aspetos que não foram reproduzidos pelos pais. Obteve-se uma concordância acima de 90% nas respostas de pais e de professores às escalas de Conners. Não se encontraram associações estatisticamente significativas entre padrões elevados do IDAH e a gravidade da asma, a presença de atopia, patologia alérgica concomitante, terapêutica, controlo da asma ou a sua duração. Conclusão: Índices aumentados de hiperatividade e défice de atenção, reportados pelos professores, sugerem que as crianças asmáticas poderão estar em maior risco de desenvolver uma PHDA. Poderemos então pensar que nas crianças com asma será útil considerar a PHDA para uma orientação precoce.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1152
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestrado Patrícia Zlamalik.pdf1,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.