Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1174
Título: Recetividade e satisfação com o uso do copo menstrual e comparação face a outros dispositivos absorventes
Autor: Rosas, Inês Pinto
Palavras-chave: Copo menstrual
Menstruação - Copo menstrual
Menstruação - Copo menstrual - Receptividade
Menstruação - Dispositivos absorventes - Higiene
Data de Defesa: Jun-2012
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: O uso de pensos e tampões absorventes como métodos de proteção menstrual apresenta alguns inconvenientes tanto a nível de saúde, como risco de infeções, como também a nível ambiental, uma vez que é estimado que cada mulher use, ao longo da sua vida fértil, cerca de 10,000 destes dispositivos absorventes. Apesar de já existir há muitas décadas, só recentemente foi introduzido no mercado português o copo menstrual Lunette®. Este estudo tem como objetivo avaliar os graus de recetividade e de satisfação que se lhe relacionam, fazendo também a sua comparação face a outros dispositivos absorventes. Materiais e Métodos: Estudo descritivo transversal, constituído por uma amostra de 92 mulheres em idade fértil que voluntariamente aceitaram participar deste estudo. O mesmo foi divulgado através de folhetos elaborados e distribuídos para o efeito. A estas mulheres foi entregue um copo menstrual Lunette® tendo sido esclarecidas sobre o estudo em questão. Passados 4 meses foi-lhes enviado um questionário, através de correio eletrónico, elaborado de acordo com a finalidade da pesquisa. Resultados: 30,4% das mulheres afirmam não ter experimentado o copo oferecido. Das que o usaram, 71,8% pretende continuar com a sua utilização em oposição a 28,2% que afirmam não desejarem continuar a usá-lo. Destas, 21,1% fazem-no por não o acharem prático, 17,5% por acharem a inserção dolorosa, 14,0% por o copo menstrual não se adaptar ao seu corpo, 14,0% não se sentirem totalmente seguras, e 12,3% acham que as lavagens são incómodas, 10,5% difícil a sua remoção e 10,5% ser demasiado grande. Só 26,6% das mulheres fazem uso exclusivo do copo, com 73,4% a usaram-no em simultâneo com outros absorventes. No entanto, as mulheres que usam o copo em exclusivo sentem níveis mais elevados de confiança, segurança e limpeza, quer no dia-a-dia quer na prática desportiva e recomendam o seu uso. Comparando o copo com outros absorventes, estas mulheres consideram o copo uma melhor alternativa mais em relação aos pensos do que aos tampões. Conclusões: Apesar de um grande número de mulheres não ter sequer experimentado o copo, a maioria fê-lo e pretende continuar o seu uso, embora um elevado número destas o associe a outros absorventes. No entanto, as mulheres que fazem uso do copo isoladamente sentem níveis mais elevados de segurança, confiança e limpeza, tanto no seu quotidiano como durante a prática de exercício físico. Comparativamente a outos absorventes, grande parte das participantes considera o copo uma melhor alternativa face aos pensos.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1174
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Inês Rosas.pdf880,62 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.