Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1190
Título: Vinculação e asma
Autor: Leal, Catarina Isabel Mariano
Palavras-chave: Asma
Asma - Aspectos psicossomáticos
Asma - Superproteção
Asma - Aspectos afectivos
Vinculação - Importância de vinculação
Data de Defesa: Jun-2012
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: A asma é uma das doenças crónicas mais comuns na infância e tem apresentado um aumento da prevalência, sobretudo nas idades mais jovens. É caracterizada por uma reação de sensibilidade exagerada a determinadas substâncias apresentando uma etiologia multifatorial, predominantemente alérgica, mas podendo ser desencadeada por estímulos ambientais e emocionais. Algumas correntes consideram a asma como uma doença psicossomática, podendo as suas manifestações ser compreendidas como dificuldades no processo de integração derivadas de falhas do cuidado ambiental. Alguns estudos referem relação entre perturbações psicossomáticas e vinculação dando, assim, grande importância aos padrões de ligação afetiva que se estabelecem entre a mãe e a criança. Objetivos: Este trabalho pretende avaliar os tipos de ligação afetiva de crianças asmáticas seguidas no Centro Hospitalar Hova da Beira e compará-los com os encontrados em crianças com outras doenças e em crianças saudáveis, de modo a verificar se existe relação entre determinados tipos de ligação afetiva e a asma. É, ainda, um objetivo secundário deste trabalho caracterizar a população asmática do ponto de vista familiar e social. Material e métodos: Os dados foram recolhidos mediante a aplicação de questionários a 120 crianças: 40 crianças asmáticas, 40 crianças com outras patologias e 40 crianças saudáveis, de modo a caracterizar demograficamente os três grupos em estudo, bem como os tipos de ligação afetiva estabelecidos. Analisaram-se e compararam-se os dados relativos aos três grupos. As crianças asmáticas também responderam um questionário que permitiu caracterizar sucintamente a doença. Resultados: Os resultados obtidos sugeriram haver predomínio de ligação materna do tipo constrangimento afetivo e controlo afetivo em crianças asmáticas, relativamente aos outros grupos em estudo. A parentalidade ótima foi mais evidente em crianças saudáveis. Analisando a superproteção materna, encontrou-se uma maior prevalência em crianças asmáticas quando comparada com crianças saudáveis ou crianças com outras patologias. Obteve-se resultados sobreponíveis nos três grupos relativamente ao tipo de ligação e superproteção paternas. Conclusão: Este estudo mostra uma tendência para as crianças asmáticas apresentarem uma ligação materna do tipo constrangimento afetivo e controlo afetivo. Foi, ainda, possível estabelecer a existência de relação entre ligação afetiva materna superprotetora e asma. Em conclusão, este estudo sugere a existência de uma associação entre vinculação e asma, mostrando a importância de avaliar a relação mãe-criança nesta população.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1190
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Vinculação e Asma.pdf754,37 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.