Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1195
Título: Cirurgia metabólica na Diabetes Mellitus tipo 2 : eficácia de diferentes procedimentos cirúrgicos e comparação de pacientes com IMC > e < a 35 Kg/m2
Autor: Teixeira, Teresa Gabriela Azevedo Bessa
Palavras-chave: Diabetes mellitus tipo 2
Diabetes mellitus tipo 2 - Cirurgia metabólica
Cirurgia bariátrica
Bypass em y de Roux
Sleeve gástrico
Data de Defesa: Mai-2012
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Estudos mostram que cirurgias bariátricas convencionais para o tratamento da obesidade mórbida, além de promoverem uma significativa e sustentada perda de peso, têm um impacto benéfico na remissão da diabetes mellitus tipo 2. Assim, este tipo de intervenções recebe actualmente a denominação de cirurgia metabólica. Este trabalho propôs-se a acompanhar durante 2 anos a evolução dos doentes diabéticos sujeitos a cirurgia metabólica através da evolução do Índice de Massa Corporal (IMC), glicémia em jejum, Hemoglobina Glicosilada (HbA1c), taxas de remissão de diabetes e registo de complicações. Foi analisada a base de dados de um centro clínico especializado - BaroClínica, Lisboa e foram identificados 119 doentes diabéticos submetidos a cirurgia metabólica pelo mesmo cirurgião. Da amostra, 106 pacientes tinham IMC ≥ 35 Kg/m2 e foram submetidos a: Gastrobandoplastia - GBP (n=67), mini-bypass gástrico (n=13), Bypass em Y de Roux – BPYR (n=21) e Sleeve Gástrico - SLG (n=5). Os 13 pacientes com IMC < 35 Kg/m2 foram submetidos a SLG (n=2) e a BPYR (n=11). A remissão de diabetes foi definida como interrupção ou ausência de medicação antidiabética com uma glicémia em jejum < 110 mg/dL e/ou HbA1c < 6,5 %. No final do follow-up, os pacientes com IMC ≥ 35 Kg/m2 submetidos a GBP, mini-bypass, BPYR e SLG apresentaram, respectivamente, diminuições do valor médio da glicémia em jejum (mg/dL) de 43,0±7,3; 60,3±19,9; 66,3±21,1 e 30,3±23,8 e taxas de remissão de 25,4%, 46,2%, 57,1% e 60%. Houve uma redução estatisticamente significativa da HbA1c nos três primeiros procedimentos. Ocorreu uma diminuição de peso sustentada em todos os subgrupos. A GBP teve uma taxa de complicações de 28,3% (19/67), maioritariamente por complicações pós-operatórias a longo prazo com necessidade de reoperação. Os pacientes com IMC < 35 Kg/m2 sujeitos a BPYR tiveram uma diminuição média do valor de glicémia em jejum de 51,3±21,8 mg/dL, da HbA1c de 1,2%±1,0 (p<0,05) e uma taxa de remissão de 63,6%. Concluiu-se neste estudo que a cirurgia metabólica é uma abordagem eficaz e segura no controlo da diabetes mellitus tipo 2, que o melhor resultado é apresentado pelas cirurgias de bypass e pelo SLG e que não há diferença na evolução clínica entre doentes com IMC ≥ e < 35 Kg/m2.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1195
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A Cirurgia Metabólica na Diabetes Mellitus Tipo 2 - Teresa Gabriela Teixeira.pdf847,72 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.