Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1360
Título: Síndrome de Burnout em prestadores de cuidados de saúde em lares de terceira idade
Autor: Vaz, Mário João Ferreira
Palavras-chave: Síndrome de Burnout
Síndrome de Burnout - Prestadores de cuidados de saúde - Lar de idosos
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: A Síndrome de Burnout definida por Shirom como um estado afetivo crónico composto por Fadiga Física, Fadiga Cognitiva e Exaustão Emocional. É entendida como uma consequência do trabalho em que o indivíduo não consegue lidar com as exigências deste a longo prazo. A sua correlação com sintomas (distúrbios do sono, cefaleias recorrentes, problemas gastrointestinais) e biomarcadores (proteína C reativa, fibrinogénio, fator de necrose tumoral-α) tem vindo a ser demonstrada ao longo dos últimos anos. A existência desta nos profissionais que trabalham no sector da saúde tem sido bastante estudada, no entanto, o seu impacto nos profissionais de cuidados que trabalham em lares de terceira idade é uma área ainda por estudar. Objetivo: Caraterizar a Síndrome de Burnout em prestadores de cuidados gerais e de saúde a trabalhar em lares de terceira idade no interior de Portugal, e analisar a relação de alguns fatores com a Síndrome neste contexto laboral. Material e Métodos: Realizou-se um estudo transversal com uma amostra de 173 profissionais, 159 (91,9%) são mulheres, com uma média de idade de 42 (DP=10,4). A amostra foi recolhida em três concelhos do interior de Portugal (Covilhã, Guarda, Miranda do Douro). Em cada concelho foram selecionados dois lares, um de pequena e outro de maior dimensão, onde foi aplicado um questionário que incluía o SMBM de modo a avaliar a Síndrome de Burnout. Resultados: O valor médio de Burnout nesta amostra foi de 2,74 (escala de 1 a 7). Maiores níveis da Síndrome foram associados a participantes casados, trabalhadores efetivos, doentes crónicos e aqueles que trabalham como auxiliares. As instituições apresentaram níveis de Burnout diferentes. Nos trabalhadores em horário rotativo observou-se uma maior exaustão emocional. Um rácio baixo de funcionários por utente e o enquadramento do lar numa zona mais urbana poderão ainda associar-se a níveis de Burnout mais elevados. O aumento dos níveis de Burnout pode ser explicado pelo aumento de experiência profissional (número de horas de trabalho) em 1,6%, de número de meses de baixa em 1,8%, e de tempo gasto no trajeto casa-trabalho em 2%. Discussão/Conclusão: Na população em estudo foi possível identificar vários fatores influenciadores da Síndrome de Burnout podendo ser subdivididos em fatores individuais e fatores laborais e condições gerais de vida. As várias instituições incluídas no estudo apresentam níveis diferentes de Burnout, sugerindo que a gestão organizacional pode contribuir para agravar ou diminuir o Burnout. O estudo nesta população pretende contribuir para a prevenção e correção da Síndrome, revestindo-se de triplo benefício: para o funcionário portador da mesma, para os seus pares e para o idoso.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1360
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Mário Vaz.pdf1,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.