Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1469
Título: Estudo da prevalência de cefaleias na população com mais de 65 anos abrangida pelo centro de saúde de Manteigas
Autor: Costa, José Eduardo Coutinho
Palavras-chave: Cefaleias
Cefaleias - Prevalência - Idosos
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: As cefaleias constituem uma patologia com elevada prevalência a nível europeu (53%), afetando também a população idosa. Sendo esta população portadora de outras patologias, tendo em conta o envelhecimento da população portuguesa e as variações do espectro etiológico das cefaleias consoante a idade, torna-se de extrema importância investigar e conhecer toda a envolvência desta problemática. Este estudo teve o objetivo de estudar a prevalência dos diversos tipos de cefaleias, a sua distribuição por género e a existência de fatores preditivos associados ao seu aparecimento na população idosa. Materiais e métodos: A amostra foi composta por 368 indivíduos com idade igual ou superior a 65 anos residentes no concelho de Manteigas. Foram criados subgrupos de diagnóstico segundo os critérios da International Headache Society (2005) para a classificação das cefaleias (primárias e secundárias de acordo com a etiologia, episódicas ou crónicas de acordo com a sua periodicidade, cefaleias de tensão, enxaquecas, cefaleias combinadas, cefaleias cervicogénicas, outras cefaleias secundárias e cefaleias inespecificas de acordo com o seu perfil clinico) e três grupos etários para estratificação da população ([65-74], ]74-84] e ]84-95]). A recolha dos dados foi realizada através de uma entrevista clínica utilizando um questionário adaptado à população portuguesa. Resultados: Dos 368 indivíduos entrevistados, 280 já tiveram pelo menos um episódio de cefaleias correspondendo por isso a uma prevalência de 76,1% (IC-95%: 70,7-80,7%). Verificou-se ainda que as cefaleias afetavam predominantemente o sexo feminino (60%). Verificou-se também uma diminuição percentual das cefaleias com o aumento da idade, um predomínio das cefaleias primárias (75,5%) em relação às secundárias (24,5%) e das episódicas (81,1%) em relação às crónicas (18,9%). Em relação às cefaleias primárias verificou-se um predomínio das cefaleias de tensão (66,2%). Em relação às secundárias, verificou-se um predomínio das cefaleias cervicogénicas (89,6%). Conclusão: A prevalência de cefaleias, na população de Manteigas, com mais de 65 anos, é superior à verificada em outros estudos para a mesma classe etária e as cefaleias secundárias, nomeadamente as cefaleias cervicogénicas, são mais relevantes neste grupo etário.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1469
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Estudo da prevalência de cefaleias na população com mais de 65 anos abrangida pelo centro de saúde de Manteigas.pdfTese397,53 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo 1 - Questionário.pdfAnexo 1 - Questionário101,16 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo 2 - Documento de Autorização.pdfAnexo 2 - Documento de autorização25,1 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo 3 - consentimento informado.pdfAnexo 3 - Consentimento informado74,2 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.