Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1504
Título: Comparação do diagnóstico final da VMER com o diagnóstico final da Urgência
Autor: Rebelo, Tânia Isabel Barbosa
Palavras-chave: Instituto de Emergência Médica (INEM)
Viatura médica de emergência e reanimação (VMER)
Medicina de emergência - Avaliação pré-hospitalar
Medicina de emergência pré-hospitalar - Avaliação
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A ausência ou escassez de avaliação das equipas de emergência pré-hospitalar em Portugal e no Mundo conduz a uma falta de conhecimento da adequação e eficiência quer das práticas destes profissionais de saúde quer dos próprios meios e materiais ao seu alcance. Neste sentido e de modo a tornar mais eficaz e mais personalizada a performance dos serviços de emergência pré-hospitalar, adequando-a à realidade de cada região, elaborou-se um estudo descritivo na região da Cova da Beira que relaciona o diagnóstico final realizado pelo médico na Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) com o diagnóstico final efetuado pelo médico na Urgência. Este estudo verifica também a gravidade/complexidade das situações que geraram ativação da VMER de acordo com o destino final que o doente sofreu após a sua observação na urgência. Além disto, investiga as situações em que os profissionais pré-hospitalares não classificaram a ocorrência efetuada, de forma a verificar se seriam situações classificáveis ou não por eles com o objetivo de perceber a adequação desses casos à emergência pré-hospitalar. Com isto, concluiu-se que em todos os sistemas da Classificação Internacional de Doenças houve um sobrediagnóstico por parte dos profissionais da VMER, sendo que o diagnóstico onde se constata uma maior diferença entre o diagnóstico VMER e o hospitalar é a asma. No caso das hipóteses diagnósticas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) constatou-se que 30,8% (12/39) dos casos correspondiam a alterações neurológicas causadas por problemas de oxigenação e/ou de hemodinâmica. No Aparelho Circulatório, das hipóteses diagnósticas colocadas como angor instável 48,3% (14/29) dos casos eram relacionáveis com a Via Verde Coronária, ou seja, constituíam possíveis Síndromes Coronários Agudos. O destino com maior frequência em todos os Sistemas de Órgãos é a alta, exceto no Aparelho Respiratório, portanto, a maioria das ativações corresponde a um grau leve de gravidade/complexidade. A morte ocorreu com maior frequência no âmbito de problemas/diagnósticos do Aparelho Respiratório. A esmagadora maioria dos problemas/diagnósticos são passíveis de classificação pela VMER.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1504
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Tânia Rebelo.pdf939,37 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.