Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1507
Título: A influência da diabetes gestacional na obesidade infantil
Autor: Nogueira, Catarina Alexandra Pinto
Palavras-chave: Diabetes gestacional
Diabetes gestacional - Complicações neonatais
Diabetes gestacional - Obesidade infantil
Diabetes gestacional - Excesso de peso
Diabetes gestacional - Aleitamento materno
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: A diabetes gestacional define-se como uma intolerância aos hidratos de carbono, de grau variável, que é diagnosticada ou reconhecida pela primeira vez durante a gravidez (1). Em Portugal verifica-se um aumento da sua prevalência e consequentemente a preocupação face às complicações maternas e morbilidade/mortalidade fetais associadas. Objetivo: Este trabalho pretende estudar a influência da diabetes gestacional na obesidade infantil, em crianças nascidas de mães com diabetes gestacional, comparativamente a um grupo controlo, ao longo dos dois primeiros anos de vida. Métodos: Realizou-se um estudo coorte, longitudinal e retrospetivo. O recrutamento das mães foi realizado através da consulta de processos clínicos das mulheres com diabetes gestacional e mulheres equivalentes sem fatores de risco associados, cujos partos se realizaram no Centro Hospitalar Cova da Beira, nos anos de 2008 e 2009. Os dados referentes às crianças foram obtidos com base na consulta de processos clínicos e num questionário aplicado às mães, por via telefónica e/ou correspondência para obtenção dos seguintes dados: peso e comprimento aos 6, 12, 18 e 24 meses de idade e duração do aleitamento materno exclusivo. Resultados: O peso médio ao nascimento dos recém-nascidos das mães controlo foi de 3067g (± 363) e nos recém-nascidos das mães com diabetes gestacional foi ligeiramente inferior com média de 3063g (±439), (p= 0.955). O grupo de recém-nascidos de mães com diabetes gestacional apresenta maior incidência de complicações neonatais, 25%, comparativamente a 5% no grupo controlo. Aos 12 meses de idade, 14 (12,2%) crianças possuem excesso de peso, sendo este valor superior nas nascidas de mães com diabetes gestacional, 7 (14,0%). Aos 24 meses de idade, 32,61% das crianças nascidas de mães com diabetes gestacional possuem excesso de peso relativamente a 20,31% do grupo controlo. Conclusão: O estudo revelou que recém-nascidos de mães com diabetes gestacional, não tiveram maior incidência de excesso de peso ao nascimento. Verificaram-se mais complicações neonatais nos recém-nascidos de mães com diabetes gestacional, apesar do controlo do peso ao nascer. Ao longo dos dois primeiros anos de vida a evolução de índice de massa corporal de ambos os grupos revelou-se muito próxima e, embora não sendo estatisticamente significativa, houve uma maior tendência ao excesso de peso nas crianças nascidas de mães com diabetes gestacional. A evolução do índice de massa corporal não mostrou diferenças estatisticamente significativas em ambos os grupos quando relacionada com a duração do aleitamento materno exclusivo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1507
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Mestrado Catarina Nogueira.pdf1,46 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.