Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1517
Título: Estimulação magnética transcraniana repetitiva sobre o córtex esquerdo : Efeitos na oxigenação cerebral, pressão arterial e frequência cardíaca
Autor: Gonçalves, Helena Sofia dos Santos
Palavras-chave: Estimulação magnética transcraniana - Cortex cerebral
Oxigenação cerebral
Pressão arterial
Frequência cardíaca
Oximetria
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: A estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr) permite alterar a excitabilidade do tecido neuronal através da criação de campos magnéticos. A theta burst stimulation (TBS) é um protocolo de EMTr com duas variantes: TBS intermitente (iTBS-estimulação excitatória) e TBS contínua (cTBS - estimulação inibitória). Este estudo tem por objectivo averiguar se a TBS é capaz de produzir alterações na oxigenação cerebral, na pressão arterial e na frequência cardíaca quando aplicada ao córtex pré-frontal dorsolateral esquerdo em voluntários jovens e saudáveis. Metodologia: A amostra inclui 79 voluntários, 30 dos quais submetidos a estimulação e 49 submetidos apenas à medição dos valores de oxigenação cerebral, todos entre os 18 e os 30 anos. Os 30 indivíduos estimulados foram divididos equitativamente em 3 grupos: cTBS, iTBS e placebo, tendo todos efectuado uma recolha dos valores de oxigenação cerebral, pressão arterial e frequência cardíaca, antes e depois da estimulação. Os indivíduos pertencentes ao grupo controlo da oxigenação cerebral fizeram apenas duas medições de oxigenação cerebral num intervalo de trinta minutos. Resultados: Verificou-se que a estimulação inibitória (cTBS) produziu uma diminuição significativa (teste t de student, p=0,022) na oximetria do córtex esquerdo e marginalmente significativa na oximetria do córtex direito (teste t de student, p=0,068). No grupo excitatório (iTBS), para o córtex esquerdo, verificou-se que na fase “pós-TBS” a oximetria média foi significativamente superior à do grupo controlo (Dunnett, p=0,012) e que houve um aumento do valor médio da oxigenação na fase “pós-TBS” em relação á fase “pré-TBS”. Para as variáveis “pressão arterial” e “frequência cardíaca”, não se encontraram valores estatisticamente significativos. Conclusões: Neste estudo concluiu-se que a cTBS aplicada ao córtex pré-frontal dorsolateral esquerdo, diminui a oxigenação do lobo frontal ipsilateral. Estes achados sugerem que a diminuição da actividade neuronal produzida pela cTBS poderá levar à diminuição do metabolismo, havendo uma menor necessidade de aporte de oxigénio à área estimulada. No grupo iTBS, a variação da média e os resultados do teste de Dunnett, levam-nos a supor que perante uma amostra maior teríamos obtido um aumento significativo da oxigenação na área estimulada. Concluiu-se ainda que numa população normal entre os 18 e os 30 anos, a variação de oxigenação num intervalo de 30 minutos não é estatisticamente significativa. Os resultados obtidos para as variáveis “frequência cardíaca” e “pressão arterial”, que não mostraram alterações em ambos os grupos cTBS e ITBS, ajudam a consolidar a segurança da técnica.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1517
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Helena Gonçalves.pdf1,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.