Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1617
Título: Fatores que influenciam as alterações de comportamento e dificuldades de aprendizagem em crianças da Cova da Beira : relação com alterações eletroencefalográficas
Autor: Silva, Nuno Miguel Alves Abreu e
Palavras-chave: Dificuldades de aprendizagem - Criança - 4-18 anos
Alteração de comportamento - Criança - 4-18 anos
Criança - Alteração eletroencefalográfica
Electroencefalograma - Criança - 2007-2012
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Objetivo: O presente estudo tem como principal objetivo avaliar a influência de diversos fatores nas dificuldades de aprendizagem e alterações do comportamento, relacionando esses dados com o eletroencefalograma. Materiais e métodos: Foi realizado um estudo transversal e retrospetivo com 96 crianças, de idades compreendidas entre os 4 e os 18 anos com dificuldades de aprendizagem e alterações do comportamento que efetuaram um eletroencefalograma entre outubro de 2007 e setembro de 2012 no Centro Hospitalar Cova da Beira. Foi recolhida a informação clínica e definiram-se seis principais grupos de variáveis. Para analisar os dados foram aplicados alguns conceitos de estatística descritiva, e para verificar se as variáveis em estudo influenciavam o resultado do eletroencefalograma, foram aplicadas técnicas de inferência estatística, incluindo alguns testes paramétricos e não paramétricos. Também se procurou saber se os resultados das variáveis dependiam do género da criança. Resultados: Relativamente ao género e às caraterísticas da gravidez e do parto, vimos que 75% das crianças são do género masculino e 25% do género feminino; relacionamos o tipo de parto e o tipo de gravidez com o encefalograma obtendo um p-value=0,001 e de p-value=0,019 respetivamente. Em relação às alterações clínicas, relacionamos as doenças e a medicação da criança com o eletroencefalograma obtendo um p-value=0,001 e um p-value=0,000, respetivamente. Quanto ao eletroencefalograma 65,6% destes são normais, 17,7% têm aumento da atividade lenta, em 10,4% há presença de atividade paroxística focal, em 4,2% há atividade paroxística generalizada e 2,2% evidenciaram reação paroxística a estímulos luminosos intermitentes. Analisando a situação profissional e a escolaridade dos pais verificamos que a depressão é a doença mais prevalente afetando 24,0% das mães. As caraterísticas do meio envolvente é uma variável importante do estudo, e observou-se que 39,6% das crianças vivem num meio permissivo, 21,9% num meio de violência doméstica, 13,5% apresentam falta de acompanhamento pelos cuidadores e 7,3% das crianças têm um bom ambiente familiar, não existem dados relativos às restantes 17,7% das crianças. Conclusão: De acordo com os dados obtidos concluímos que há uma predominância do género masculino. Vimos também que a estrutura e a dinâmica familiar têm uma grande influência nas alterações de comportamento e dificuldades de aprendizagem, pela observação das elevadas percentagens referentes a alguns níveis das variáveis, nomeadamente o abuso do álcool, o consumo de tabaco, a baixa escolaridade dos pais, a permissividade, a violência doméstica, a falta de acompanhamento social e escolar e a depressão materna. Concluímos ainda que as comorbilidades das crianças no momento do diagnóstico, a medicação da criança, o tipo de gravidez e o tipo de parto influenciam o resultado do eletroencefalograma.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1617
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Fatores que influenciam as AC e DA em crianças da Cova da Be.pdf722,83 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.