Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1646
Título: Funcionalidade das pessoas centenárias : estudo desenvolvido em Figueira de Castelo Rodrigo no âmbito do PT 100
Autor: Panta, Ana Graça Carrasco
Palavras-chave: Gerontologia
Idosos - Centenários - Envelhecimento
Idosos - Centenários - Funcionalidade
Idosos - Centenários - Autonomia
Estudo dos centenários - Figueira de Castelo Rodrigo
Data de Defesa: Out-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Os centenários são o grupo etário onde se verifica o maior crescimento demográfico na maioria dos países desenvolvidos. Este aumento deve-se à melhoria das condições de vida e aos avanços dos cuidados médicos que permitiram às pessoas idosas a manutenção de uma boa condição física durante mais tempo e, consequentemente, uma maior longevidade. Esta investigação insere-se no âmbito do estudo PT 100 – Estudo dos centenários da Beira Interior, que deriva do PT 100 – Centenários do Porto, desenvolvido pela Unidade de Investigação e Formação sobre Adultos e Idosos (ICBAS _ UP). O PT 100 – Centenários do Porto insere-se num consórcio internacional com investigadores dos estudos de centenários de Heidelberg (Alemanha) e Fohrdam (Estados Unidos da América). A presente investigação tem como objetivo geral caracterizar a funcionalidade dos centenários residentes no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. A amostra do estudo é constituída por sete participantes com uma média de idade que ronda os 102 anos. São todas do sexo feminino, viúvas, reformadas e com baixa escolaridade. A maioria dedicou-se ao trabalho no campo e desempenhou atividades domésticas. Atualmente, quatro das participantes estão institucionalizadas e três vivem em casas unifamiliares ao cuidado das filhas. Os problemas de saúde que mais afetam as participantes neste estudo são problemas de visão e de audição. A maioria (n=5), sofreu quedas nos últimos cincos anos. Ao nível da funcionalidade, as participantes desempenham as funções inerentes às atividades básicas da vida diária com alguma autonomia, no entanto, quanto ao desempenho das atividades instrumentais da vida diária, as participantes revelaram incapacidade de realizar estas atividades de modo autónomo. A maioria das participantes necessita de ajudas técnicas na realização das atividades do quotidiano. Apesar das limitações físicas inerentes ao processo de envelhecimento, a maioria das participantes perceciona a sua saúde como aceitável. Os resultados sugerem, no entanto que estes resultados ao nível da funcionalidade poderiam ser mais favoráveis com a ativação de possíveis ajudas técnicas/apoio, atitudes e ambientes mais promotores de autonomia.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1646
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO MESTRADO ANA G. PANTA.pdf6,22 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.