Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1674
Título: Inibidores das tirosinacinases na terapêutica farmacológica
Autor: Saraiva, Sara Filipa Andrade
Palavras-chave: Farmácia comunitária - Gestão - Estágio pedagógico
Farmácia hospitalar - Gestão - Estágio pedagógico
Tirosinacinases
Inibidores das tirosinacinases
Antineoplásicos
Imunomoduladores
Data de Defesa: Jun-2013
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: O presente Relatório tem por base as três vertentes experienciadas durante o meu Estágio Curricular inserido no plano de estudos do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas: Farmácia Comunitária, Farmácia Hospitalar e Investigação. O primeiro capítulo diz respeito à investigação desenvolvida no âmbito do trabalho sobre inibidores das tirosinacinases na terapêutica farmacológica. A descoberta de mutações em tirosinacinases (TKs) envolvidas na patogénese de diversas patologias, nomeadamente oncológicas, levou à investigação de inibidores das tirosinacinases (ITKs) como estratégicas terapêuticas. O objetivo deste estudo foi efetuar uma revisão dos diferentes ITKs disponíveis no mercado nacional e internacional, as suas indicações terapêuticas, assim como as potenciais indicações em investigação. Foi, ainda, efetuada uma revisão dos principais ITKs que se encontram em diversas fases de ensaios clínicos. Efetuou-se uma pesquisa bibliográfica na base de dados eletrónica da PubMed utilizando o termo “tyrosine kinase inhibitors”, tendo sido incluídos 219 artigos científicos na revisão efetuada, publicados desde agosto de 2011 até julho de 2012. Foram ainda consultadas as bases de dados de medicamentos da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (INFARMED), da European Medicines Agency (EMA) e da United States Food and Drug Administration (FDA). Presentemente encontram-se autorizados pela FDA 18 ITKs. Em Portugal existem 14 ITKs com autorização de introdução no mercado (AIM), encontrando-se, adicionalmente, o cabozantinib, o tofacitinib, o regorafenib e o ponatinib em fase de autorização. Existem ITKs aprovados para o tratamento de várias patologias oncológicas e recentemente também no tratamento de uma doença autoimune, a artrite reumatoide. Encontram-se em investigação ITKs para outras patologias, de que são exemplo a psoríase e o cancro da próstata. É necessária mais investigação científica nesta área, pois existe uma grande variedade de TKs e nem todas se encontram estudadas, pelo que outros potenciais alvos terapêuticos poderão vir a ser descobertos no futuro. As TKs são, assim, um promissor alvo terapêutico, o que torna os ITKs uma classe farmacológica com grande potencial clínico. O segundo e terceiro capítulo são referentes ao meu estágio em Farmácia Comunitária, decorrido na Farmácia Janeiro, em Mourisca do Vouga, entre 4 de fevereiro e 3 maio de 2013 e ao meu estágio em Farmácia Hospitalar, realizado nos Serviços Farmacêuticos do Centro Hospitalar da Cova da Beira, EPE., entre 6 de maio e 21 de junho, respetivamente. Ambos os capítulos descrevem alguns dos conhecimentos e competências que adquiri durantes os estágios, contribuindo para o enriquecendo da minha formação académica.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1674
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatório Sara saraiva.pdf6,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.