Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1764
Título: Determinação de antidepressivos em plasma e urina
Autor: Domingos, Ana Sofia Marques
Palavras-chave: Serotonina
Noradrenalina
Antidepressivos tricíclicos
Data de Defesa: 2009
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Os casos de depressão têm vindo a aumentar cada vez mais. Muitas vezes por falta de diagnóstico atempado o tratamento inicial não é eficaz, o que faz com que o número de doentes crónicos continue a aumentar, aumentando consequentemente o consumo deste tipo de medicamentos. Em Portugal, os dados publicados pela Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde I.P. (INFARMED) referem que o subgrupo farmacoterapêutico antidepressivos e psicotrópicos estava, em 2000, entre os 10 primeiros no que diz respeito aos encargos para o Serviço Nacional de Saúde. A prescrição dos antidepressivos de nova geração, como os inibidores selectivos da recaptação da serotonina, tem sido crescente nos últimos anos, já que apresentam menos toxicidade para o organismo e um menor número de efeitos secundários. No entanto, nem sempre esta medicação é eficaz, continuando assim a prescrever-se antidepressivos tricíclicos e inibidores da monoaminoxidase, que apresentam uma elevada toxicidade e são muitas vezes usados em actos suicidas. O objectivo a que nos propusemos com este trabalho foi desenvolver e comparar várias técnicas para a preparação de amostras, como a extracção líquido-líquido (LLE) e a extracção em fase sólida (SPE), usando diferentes solventes e tipos de enchimento para a detecção de antidepressivos em plasma e urina. Os extractos foram analisados por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC) acoplada a um detector de fotodiodos (PDA). Foram estudados nove antidepressivos: amitriptilina, nortriptilina, clomipramina, dotiepina, mianserina, trazodona, fluoxetina, sertralina e protriptilina, tendo sido este último usado como padrão interno.Os parâmetros estudados foram a selectividade, recuperação e limites de detecção, tendo estes parâmetros sido avaliados de acordo com as normas internacionalmente aceites para a validação de métodos bioanalíticos. Os valores de recuperação obtidos situaram-se entre 16-82% para a LLE e 42-97% para a SPE. De um modo geral, as técnicas de SPE utilizadas demonstraram ser mais adequadas para a determinação deste tipo de compostos em fluidos biológicos, devido à presença de um número menor de interferências endógenas. Por outro lado, a simplicidade de execução desta técnica torna-a mais facilmente automatizável. Finalmente, foi ainda possível demonstrar que o tipo de equipamento analítico utilizado no decorrer deste trabalho (HPLC/PDA) é uma técnica útil e ao alcance de qualquer laboratório para uma primeira fase da optimização de processos extractivos, reservando-se técnicas mais dispendiosas [como por exemplo LC/MS (MS) ou UPLC/MS (MS)] para a posterior validação dos métodos analíticos desenvolvidos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1764
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestrado Final....pdf2,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.