Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1780
Título: Ensino da língua espanhola em Portugal: que metodologias?
Autor: Carvalho, Susana Rita de Jesus
Orientador: Sardinha, Maria da Graça Guilherme D’Almeida
Osório, Paulo José Tente da Rocha Santos
Palavras-chave: Ensino da língua espanhola em Portugal : que metodologias?
Língua estrangeira
Data de Defesa: 2009
Editora: Universidade da Beira interior
Resumo: Em Portugal, nos últimos anos, o ensino do Espanhol tem vindo a ser leccionado a um número cada vez mais elevado de alunos. Assim, o Espanhol funciona, para esses alunos, como língua estrangeira. Diga-se que muitas têm sido as várias visões acerca dos conceitos de Língua Segunda e Língua Estrangeira que, por questões sociolinguísticas e psicolinguísticas, assumem, muitas das vezes contornos diversos. Numa altura em que o Espanhol assume extrema importância no âmbito do ensino das línguas estrangeiras em Portugal, defende-se o desenvolvimento da Competência Comunicativa. Longe vão, assim, os tempos de ensino centrado em esquemas estruturalistas. Abre-se, deste modo, o caminho para enfoques de cariz interactivo na aula, na qual o aluno passou de «recipiente passivo» a um agente crítico e dinâmico do processo. Ensinar uma língua estrangeira é desenvolver as quatro competências fundamentais: ler, escrever, ouvir e falar. Jamais estes domínios poderão ser trabalhados de forma isolada e parcelar. Na verdade, uma língua é um todo, exigindo um trabalho global. Defendemos, então, que se apliquem diferentes metodologias no ensino desta LE, dando-se particular referência ao desenvolvimento da Competência Comunicativa. Esta dissertação, tem, como principais objectivos, desenvolver as diferentes metodologias, focalizando as mesmas para a análise de um manual escolar. O facto do ensino do Espanhol apontar para uma realidade quase nova, remete-nos para algumas lacunas quer no âmbito dos materiais, quer no âmbito da própria formação de professores. São, assim, frequentes as vozes que se levantam na escola acerca do como fazer, do quanto fazer e de com quê fazer. Todavia, o professor da actualidade também tem de apresentar uma mentalidade aberta e, consequentemente, flexível para fazer face aos problemas surgidos. Esta dissertação é indiscutivelmente a prova disso mesmo. Ao desenvolver diferentes metodologias alicerçadas em modelos de ensino, no sentido de podermos contribuir para a análise do manual escolar, estamos a reflectir sobre o processo didáctico da língua estrangeira – o espanhol – cujo ensino não poderá dispensá-lo. A didáctica do ensino da língua estrangeira apresenta, de facto, aspectos algo diferentes da didáctica da língua materna. Cabe, também reflectir sobre os mesmos ao longo do trabalho. Assim, vejamos agora a organização do estudo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1780
Aparece nas colecções:FAL - DL | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
O Ensino da Língua Espanhol em Portugal - Que Metodologias.pdf18,11 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.