Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1834
Título: A adaptação ao meio aquático em contextos de ensino com diferentes profundidades: um estudo das diferenças metodológicas e na aquisição de habilidades motoras aquáticas em crianças de 4 e 5 anos
Autor: Rocha, Helena Isabel Amaral
Palavras-chave: Natação
Habilidades motoras
Crianças
Competência aquática
Data de Defesa: Out-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A natação, tal como outros desportos, têm vindo a sofrer transformações e evoluções na metodologia de ensino. No entanto, ainda são colocadas muitas dúvidas acerca do tipo de método de ensino a utilizar bem como do contexto de aprendizagem a adoptar, em particular, a profundidade da piscina (rasas ou profundas) na adaptação ao meio aquático. Assim, neste estudo propomo-nos analisar a eficácia da metodologia de ensino no âmbito da adaptação ao meio aquático, em escolas de natação que recorrem a diferentes contextos de aprendizagem: em água rasa e profunda. Em particular, é objectivo desta pesquisa a análise da relação entre o nível de competência aquática de crianças de cinco e quatro anos, em diferentes contextos de ensino-aprendizagem da natação, designadamente a profundidade da piscina e a organização metodológica do ensino ministrado. Para o efeito, foram analisadas noventa e oito crianças (idade média de 4,39 e um desvio padrão de 0,49), em dois grupos distintos, de acordo com o contexto de ensino-aprendizagem da natação: cinquenta alunos provenientes do ensino numa piscina profunda e quarenta e oito alunos de uma piscina rasa. A amostra foi ainda estudada de acordo com a experiência prévia de prática de natação: com seis, doze e dezoito meses de prática. Todas as crianças integradas na amostra foram avaliadas na sua competência aquática, recorrendo a uma ficha de observação de domínio de habilidades motoras aquáticas adquiridas. Aos técnicos de natação responsáveis pela experiência aquática prévia das crianças estudadas foi aplicado um questionário para o registo da organização metodológica e respectivo contexto do ensino ministrado. Os resultados do nosso estudo indicam que na generalidade as escolas de natação não diferem significativamente ao nível da estrutura organizacional. No entanto, alguns aspectos metodológicos parecem distintos entre as escolas de natação de água rasa e profunda, particularmente na importância pedagógica que determinados conteúdos parecem ter na orientação dos programas de ensino. Os resultados indicam que as crianças com maior tempo de prática (6, 12 e 18 meses) apresentam um número superior de habilidades aquáticas adquiridas, independentemente do contexto de profundidade. Contudo, a competência aquática parece mais sólida entre as crianças com ensino em água rasa, pelo menos até aos 12 meses de experiência aquática. Pelos resultados encontrados no presente estudo, consideramos que a existência de assimetrias da aquisição de competências no meio aquático pode estar associada com as diferenças de profundidade da piscina bem como associada à organização metodológica do ensino adoptado pela da escola de natação.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/1834
Aparece nas colecções:FCSH - DCD | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.