Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2020
Título: Estudo dos motores propfan em aeronaves de pequena dimensão: propfan como alternativa ao turbofan
Autor: Álvarez Álvarez, Raquel
Palavras-chave: Motores propfan
Aeronaves
Data de Defesa: Jun-2012
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A pressente dissertação estuda a viabilidade da utilização de motores Propfan em aeronaves de pequena dimensão, o que poderia permitir uma poupança no consumo específico. Esta ideia surgiu pela procura crescente de voos com jatos particulares para a realização de viagens de negócios, e particularmente pela necessidade da redução das emissões poluentes cada vez maior, o que implica consumir menos combustível. Os motores Propfan combinam os motores a jato existentes com um novo conceito de hélices, que os permite atingir as elevadas velocidades de cruzeiro dos turbofan com a economia de operação dos turbohélice. Estimam-se os parâmetros de desempenho e eficiência do novo motor e suas hélices, e comparam-se os resultados obtidos com os dados originais. Esperam-se modificações na configuração aerodinâmica da aeronave, nos campos de ruído e cargas estruturais. O desenho aerodinâmico das pás Propfan, atrasa a velocidade de ponta da pá para a qual se reduz o rendimento propulsivo, em comparação com as hélices convencionais. Estas hélices têm um maior número de lâminas (entre 6 e 12), com uma largura (corda) maior para aumentar a carga aerodinâmica em cada uma delas, e um diâmetro menor para reduzir a velocidade linear na ponta. Possuem também uma curvatura de entre 20 a 45 graus e uma espessura menor do que o habitual para aumentar ainda mais a velocidade a que acontece o drag-divergence. A transmissão de potência entre o motor e as hélices pode ser feita através de dois mecanismos: turbina livre ou caixa redutora. No primeiro caso, os estágios da turbina são ligados alternadamente às hélices, girando cada conjunto em direções opostas. Noutro caso, a configuração da caixa redutora reduz a velocidade do veio do motor para as hélices. Este sistema permite a utilização da configuração “push” ou “pull”, com um ou mais propulsores e gera menor ruído. À medida que a potência transmitida aumenta, as caixas tornam-se muito mais robustas do que as utilizadas nos turbohélices convencionais. Para o caso do Allison 578DX foi obtida uma eficiência de 0,93, em projecto para 13 000 hp com um design compacto, leve e com engrenagens planetárias. Também exige menos manutenção (a cada 32.000 horas) tornando-o mais atraente para as companhias aéreas comerciais.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2020
Aparece nas colecções:FE - DCA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Capa Relatorio Raquel.aiCapa1,14 MBPostscriptVer/Abrir
Relatorio Raquel Alvarez.pdfDissertação3,74 MBAdobe PDFVer/Abrir
caixa redutora denteado.pdfAnexo_1232,58 kBAdobe PDFVer/Abrir
caixa redutora pesos.pdfAnexo_2181,22 kBAdobe PDFVer/Abrir
caixa redutora torque.pdfAnexo_3207,81 kBAdobe PDFVer/Abrir
ciclo termodinámico.pdfAnexo_457,5 kBAdobe PDFVer/Abrir
Ctes. atmosfera padrão.pdfAnexo_5116,86 kBAdobe PDFVer/Abrir
gráficos.pdfAnexo_6184,64 kBAdobe PDFVer/Abrir
propfan cálculo temperatura óptima turbina.pdfAnexo_7377,83 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.