Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2158
Título: Estágio hospitalar em Optometria em Ciências da Visão
Autor: Macário, Daniel Fernando Bartolomeu
Orientador: Garcia Hernández, Santiago
Palavras-chave: Exames de diagnóstico
Ambiente de trabalho
Oftalmologia
Data de Defesa: 2009
Resumo: Realizado o primeiro ano do Mestrado em Optometria em Ciências da Visão, onde varias vezes abordamos o paciente de optometria sob uma perspectiva diferente, surge então a oportunidade de realizar um estágio hospitalar de forma a estar um pouco mais dentro do dia-adia desse campo que varias vezes tinha ouvido falar mas que ainda me era desconhecido. Com a aprovação e o apoio do Dr. Santiago Garcia, médico oftalmologista do Hospital Universitário de Salamanca, tive a oportunidade de conhecer esse novo mundo na cidade onde resido, Salamanca. O Hospital Universitário de Salamanca está dividido em duas secções principais, sendo que cada uma presta cuidados de atenção primária a metade da cidade (organizada geograficamente) e cuidados extras a toda a província de Salamanca. Uma dessas partes, denomina-se Hospital Clínico Universitário de Salamanca. A outra dá pelo nome de Hospital Universitário Virgen Vega e funciona apenas em regime ambulatório, transferindo qualquer caso que requeira cuidados especiais ou internamento ao H.C.U.S. O facto de estarem assim divididos traz várias vantagens a população em termos de efectividade e velocidade na atenção primária, mas aumenta os custos de manutenção e adaptação a nível técnico do hospital. Em consequência disso, há algumas provas em que temos de enviar o paciente ao H. C. U. S. pelo facto de não existirem meios técnicos no serviço do Virgen Vega, como por exemplo Tomografia de Coerência Óptica (O.C.T.). O meu estágio decorreu no serviço do Hospital Universitário Virgen Vega (Salamanca), de Outubro de 2008 a Maio de 2009, acompanhando o Dr. Santiago Garcia todas as segundasfeiras, no serviço de urgências oftalmológicas ou nas suas consultas diárias (1ª consulta e consultas de seguimento). A secção (2º andar do Centro de Especialidades da dita unidade hospitalar) dispõe de uma sala de espera, sete consultórios médicos, um gabinete de gestão da secção, um corredor interno para comunicação com enfermeiras e entre médicos, uma pequena sala para refractometria e uma sala com equipamentos extra e comuns a todos os médicos, onde se efectuam provas como biometria, biomicrofotografia, retinografia, campimetria, laser, angiografia, etc. A esta sala também se transladam pacientes suspeitos de problemas de visão binocular, pois dispõe de um foroptero que torna mais fácil o calculo de vergências, forias, acomodações relativas e outras funções. Cada consultório dispõe de um projector e caixa de prova, teste de leitura, computador, lâmpada de fenda com tonómetro de contacto integrado, oftalmoscópio directo, oftalmoscópio indirecto binocular com lente “Oculus”, lente de Volk para fundoscopia, lente de Goldmann “fundus camera” (Gonioscopia) e todo os consumíveis oftálmicos, como midriáticos, cicloplégicos, gotas anestesiantes, outras gotas ou pomadas oftálmicas para tratamentos primários, agulhas, compressas, etc. As consultas iniciavam às nove (9:00) e terminavam por volta das quinze (15:00) horas continuadamente. Os pacientes, exceptuando os dias de urgências, estavam organizados da tarde anterior e avisados, com consultas de quinze em quinze minutos. Quando entravam na sala de espera, os pacientes eram encaminhados por uma enfermeira que lhes fazia refractometria utilizando um auto-refractómetro TOPCON KR 8100P. Quando o paciente entra no consultório, o médico dispõe já de antemão a sua ficha com todo o historial oftalmológico e/ou clínico. Para a elaboração deste relatório de estágio decidi seleccionar alguns casos que me pareceram mais interessantes e descrever um pouco a forma como o mesmo foi abordado, as possibilidades terapêuticas e em alguns os resultados. Este relatório esta composto em duas partes distintas, a primeira onde se descrevem os referidos casos de maior interesse e uma segunda parte, composta pela analise de um caso clínico escolhido por mim e pelo orientador principal, onde se pode observar que a acção do oftalmologista compensada com a ajuda do optometrista, poderá aumentar sensivelmente a qualidade de vida do doente.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2158
Designação: Relatório de estágio apresentado à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Optometria em Ciências da Visão
Aparece nas colecções:FC - DF | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Estagio_Hospitalar_OCV.pdf1,08 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.