Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2173
Título: Reabilitação/reconversão do interior do edifício Arte e Cultura na Covilhã para habitação (tipo loft) e um espaço para exposição
Autor: Brito, Paula
Orientador: Gomes, José Barros
Martins, Pedro Flávio
Palavras-chave: Edifícios urbanos
Data de Defesa: 2008
Resumo: Reabilitar um edifício torna-se por vezes mais complicado do que construir um novo, não apenas porque existem partes com um valor histórico que têm de ser conservadas, mas também pelo estado da construção, já que poucas são as vezes em que se conhece as suas condições antes de iniciar o projecto. Ainda assim, o plano de actuação na reabilitação de um edifício constitui um desafio para qualquer arquitecto, porque implica adoptar estratégias muito diferentes das que se desenvolveriam sem uma pré-existência. As razões que levam a reabilitar um edifício em vez de construir de novo são muito variadas. A maioria das ocasiões deve-se á existência de legislação que impede a sua demolição; por ser por vezes mais barato aproveitar uma estrutura existente, ou ainda os seus proprietários por várias razões desejam em parte manter o encanto do passado, mas que incorporando as mencionadas tecnologias que proporcionam a obtenção de padrões de qualidade e ambiente actuais. Em qualquer caso, o projecto deverá respeitar estas premissas de modo a corresponder às expectativas dos seus futuros utilizadores. Desde a Segunda Guerra Mundial, a tendência europeia para respeitar as construções do passado, fomentou nos últimos anos, o recurso a certos estratagemas, que de reabilitação pouco têm, enquanto muitos projectos de qualidade duvidosa duma tipicidade mal entendida, em edifícios dos quais apenas a fachada se mantém e que na realidade, são obras novas. Perante tais situações, surge entretanto uma outra visão mais ilustrada na qual a remodelação é entendida como a adaptação de um edifício antigo às necessidades actuais, relegando o diálogo com o passado para um segundo plano. Num projecto de remodelação a sensibilidade do arquitecto é factor primordial para uma obra de qualidade, já que dele depende o saber conjugar os desejos dos proprietários com a realidade espacial e a sua envolvente. Sendo o resultado final fruto da sua capacidade para definir estratégias audazes e realistas, tais como uma solução ajustada á verba orçamental prevista.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2173
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Arquitectura
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.