Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2239
Título: Despertar da cultura: cine-teatro de Cantanhede
Autor: Amorim, Sofia Machado de
Orientador: Pinto, Luís Miguel Moreira
Jular, Jorge Eduardo Ramos
Palavras-chave: Arquitectura de lazer
Arquitectura urbana
Data de Defesa: 2010
Resumo: O ser humano é dotado de cinco sentidos distintos. Contudo, os olhos e os ouvidos têm funções completamente diferentes e são sentidos de modos diferentes. A vista tem como principal função, informar-nos quanto às cores, às formas, às características externas e aos movimentos dos objectos expostos à luz, enquanto que o ouvido, pouco nos revela, por exemplo, acerca de um objecto, apenas nos transmite determinadas informações sobre algumas das suas actividades que produzem ondas sonoras. De uma forma geral, os olhos dão mais importância à natureza, localização e estado das fontes de luz cujos raios luminosos incidem sobre a retina. Ao ouvido interessa mais a fonte sonora, e necessita que as ondas sonoras, no seu percurso até ao tímpano, sofram o menos possível de alterações com o objectivo de manter inalterada a informação dada pela fonte. Apesar do som ser produzido por um objecto, pouco podemos retirar como informação acerca da forma desse objecto, enquanto que a vista, para cumprir a sua função, exige uma imagem pelo menos bidimensional como representação de um objecto tridimensional. O presente projecto em espaço urbano, destina-se à reabilitação de um edifício habitacional e à construção de um novo volume enquanto edifício utópico de cultura e lazer. O principal objectivo é de evidenciar, e valorizar o edifício já existente e abandonado, através da reabilitação e da atribuição de uma nova função, passando a ter como principal função de salas de dança. Talvez a dança na cidade não seja observada e valorizada devidamente, possibilitando deste modo novas oportunidades para os habitantes da cidade. Ao lado deste edifício encontra-se um espaço vazio, mas ainda com algumas marcas do que fora o antigo edifício. Daquele espaço apenas permanecem algumas paredes, propondo-se assim a criação de um cine-teatro para esta cidade. Com a criação deste novo edifício é pretendido dinamizar e criar um local de interesse cultural, através de uma arquitectura moderna, sendo em simultâneo uma atracção para a cidade e periferia. Com este projecto utópico pretende-se essencialmente que a cidade de Cantanhede dê aos seus jovens, (uma vez que a maior percentagem da população é jovem), mas também ao resto da população em geral, a possibilidade de terem momentos de culturais, recreativos e de entretenimento, sem terem de se deslocar para outros centros urbanos como por exemplo: Coimbra, Aveiro, ou Figueira da Foz. A necessidade de criar novos espaços culturais para a população, surge como possível resposta, contribuindo deste modo, para o desenvolvimento de novos espaços para as horas de lazer da população. Em simultâneo desenvolvem-se as potencialidades locais quanto dos seus costumes e tradições, divulgando e promovendo a nível nacional um património cultural aí existente.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2239
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Arquitectura,
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.