Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2320
Título: Arquitectura de emergência: projectar para zonas de catástrofe
Autor: Frade, Rita Carvalho Afonso Calais
Orientador: Suárez, María Candela
Palavras-chave: Arquitectura de emergência
Abrigos de transição
Data de Defesa: 2012
Resumo: Nos últimos anos, o planeta terra tem vivido num constante estado de emergência. O crescimento populacional desmensurado conjugado com as más politicas urbanas tem fomentado o crescimento desigual e insustentável das comunidades. O planeta “denuncia” as más decisões que se têm tomado neste sentido e isto tem repercussões a nível global. No entanto, esta situação não afecta todos por igual, porque tem tornado cada vez mais vulnerável a condição em que vivem as camadas mais carenciadas da sociedade, agravando as discrepâncias sociais. Não obstante, o planeta tem vindo a sofrer cada vez mais com as alterações climáticas, avolumando por isso esta situação. A ocorrência de desastres naturais não é novidade, no entanto, eles têm-se manifestado com maior frequência e intensidade. Este tipo de ocorrências traz consequências extremamente graves a vários níveis, uma vez que acarreta, entre outros, danos no sistema social e infra-estruturas. Sismos, terramotos e furacões destroem cidades inteiras, e em poucos minutos, milhares de pessoas perdem os seus lares, tornando-se urgente a criação de estruturas que forneçam abrigo imediato às populações desalojadas, para que a pouco e pouco reencontrem o seu “modus vivendi”. O alojamento de emergência surge pela necessidade urgente de proporcionar um abrigo digno e seguro onde as populações que tudo perderam possam viver. Para além disso, dessa tipologia de alojamento, pode depender a sobrevivência das pessoas, num momento de extrema fragilidade, sendo esta uma maneira de atenuar o sofrimento de milhares de pessoas com índices de conforto e bem-estar. É nestas circunstâncias que se evidencía o papel do arquitecto no encontro de soluções para os problemas daí decorrentes Para além de todos os esforços que se têm feito na resposta a este tipo de situações, valorizando aqui o importante trabalho que vem sendo desenvolvido pelas agências humanitárias, é do senso comum que a questão do alojamento pós desastre continua a ser um dos temas que gera maior controvérsia e suscita diversos problemas. Nesta dissertação foi elaborada uma investigação teórica e análise profunda sobre o alojamento de emergência. Foram analisadas as atitudes tomadas, a sua evolução, as pessoas envolvidas neste tipo de resposta, o papel desenvolvido pelas agências humanitárias, os aspectos a considerar no abrigo e quais as necessidades urgentes das populações afectadas. Com base neste estudo foram criadas uma série de estratégias para a criação de um alojamento de emergência, que partindo de princípios universais pode adaptar-se a vários cenários, catástrofes e contextos sociais. O sistema desenvolvido procura responder a princípios como simplicidade, eficiência, rapidez e agilidade na construção e/ou montagem, flexibilidade, adaptabilidade e economia. Só com estratégias estudadas especificamente será possível proporcionar um pouco de dignidade a quem muito precisa e nada tem.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2320
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Arquitectura
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Rita Frade.pdf9,75 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.