Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2336
Título: A cor e o espaço
Autor: Gonçalves, Maria Luís Brás
Orientador: Pinto, Luís Miguel de Barros Moreira
Palavras-chave: Psicologia da cor
Arquitectura
Data de Defesa: 2011
Resumo: A cor, encontra-se hoje em dia, pouco presente na arquitectura. Presente como fazendo parte dela, como sendo essencial para o seu entendimento. Mas nem sempre foi assim. A presença da cor nos espaços construídos iniciou-se talvez com a descoberta da própria cor e os seus efeitos perceptivos foram sendo descobertos. Existem hoje, imensos estudos de cor para as mais variadas disciplinas e compuseram-se diferentes teorias da cor, o tema não se encontra, no entanto, esgotado. A cor tem propriedades perceptivas únicas e necessárias ao entendimento do espaço. Aliás, ela é geradora do espaço. Este trabalho pretende mostrar isso mesmo, como a aplicação da cor nos espaços pode alterar a sua percepção, explicá-lo, reforça-lo, defini-lo. A utilização da cor na arquitectura não é apenas coisa do passado, no presente século ela continua a fazer-se presente. Muitos arquitectos, entendendo as suas capacidades tiram partido das mesmas. Para Barragán a cor evidencia, trás a nu o carácter do espaço. Provoca emoção e gera beleza. Já Siza Vieira tira partido do acromatismo das superfícies. A cor é um importante elemento caracterizador do espaço e é importante que seja entendida como tal e não como elemento de revestimento estético e decorativo meramente. A produção arquitectónica tem-se preocupado mais com a composição formal, mas como se demonstra, a cor tem um papel fundamental no espaço. A cor tem ainda uma influência psicológica no ser humano. As cores transmitem sensações. Bem utilizadas estas podem reforçar as ideias que se pretendem transmitir. Estudos indicam que as cores têm influência no comportamento das pessoas, e este facto pode ser utilizado a favor da arquitectura. O ser humano é emotivo e sensitivo e a cor é um estímulo grandioso que o prende e estimula Parece sensato afirmar então que a arquitectura beneficia da presença da cor. Depois de se ver abordadas estas questões, pretende-se elaborar um quadro de conselhos de aplicação das cores nos vários tipos de espaços e ainda aplicar os princípios cromáticos a alguns espaços do projecto académico concebido no âmbito da cadeira de projecto 5/I, designadamente, um hotel rural. O Mundo é a cores.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2336
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Arquitectura
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.