Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2359
Título: Requalificação e revitalização do património arquitectónico e etnológico das salinas em Portugal: intervenção na ilha da Murraceira, Figueira da Foz
Autor: Santos, João André Gameiro
Orientador: Candela Suárez, María
Palavras-chave: Requalificação etnológico
Património arquitectónico
Data de Defesa: 2012
Resumo: Como o que acontece nos grandes centros urbanos, onde um largo espólio de rica Arquitectura é deixado ao desprezo e abandono, assistimos igualmente ao largar das actividades tradicionais e respectivo espólio arquitectónico em zonas descentralizadas. Derivado do êxodo rural, da industrialização massiva em todas as áreas produtivas, na alteração das necessidades laborais e económicas, da importação generalizada de bens e a alteração dos hábitos pessoais e sociais; tudo são razões justificativas para este abandono. Além do abandono concreto (infra-estruturas, plataformas e construções) temos presente o risco consciente do abandono das matérias imateriais (técnicas, conhecimentos e saberes, práticas e tradições) que não deixam de ser tão influentes como todos os outros elementos que compõem o espaço que rodeia o Homem, como espaço ocupacional. A Arquitectura deve, por seu lado, ser capaz de recriar um ambiente impulsionador e atractivo, de modo a que o tratamento conceptual que o espaço reserva armazene e transmita os traços e conteúdos originais. É um desafio entusiasmante, porém igualmente comprometedor. O tratamento do conhecimento, dados e conteúdos carece de uma análise profunda e detalhada das condicionantes originais e tradicionais. Estas condicionantes podem, inclusive, ter colaborado para o desinteresse e abandono destas culturas primitivas. Esta análise capacita que novas apostas, no caso-estudo arquitectónicas, contornem os conceitos errados e desajustados para a presente a realidade. Deste modo obtém-se um modelo que recria o património tradicional mas que, após toda a reflexão da metodologia inicial, se apresenta melhorada, optimizada e de acordo com muito dos princípios presentes da Arquitectura: ordenamento, funcionalidade, estética, eficiência, racionalidade, entre muitos outros. Deste modo, a presente dissertação trata especificamente a evolução da vida marinha em território português, desde a sua génese de exploração salineira tradicional até à actualidade. Trata de reconhecer a realidade em que consistiu a indústria marinha, de levantar as condicionantes que levaram à sua evolução negativa a partir do final do séc. XX. Planeia-se e apresentar-se-á um programa/proposta de intervenção racional que, através de um protótipo, se possa adequar a todo o parque marinho português, reabilitando e dinamizando a vida salineira que já se encontra em declínio profundo. “Quarenta anos depois a situação tinha-se alterado completamente, a abertura de mercados e as modificações tecnológicas na pesca e na indústria levaram a um colapso quase total da actividade.” In I Seminário Internacional sobre o Sal Português p. 127-134, Renato Neves, 2005.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2359
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Arquitectura
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação João Santos n20401.pdf19,65 MBAdobe PDFVer/Abrir
Desenhos Anexos João Santos n20401.pdf14,55 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.