Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2484
Título: Degradação electroquímica de lixiviados de aterros sanitários
Autor: Silva, Débora Norma Rodrigues da
Orientador: Lopes, Ana Maria Carreira
Palavras-chave: Oxidação anódica
Lixiviados
Degradação electroquímica
Electrocoagulação
Data de Defesa: 2011
Resumo: A oxidação electroquímica usando como ânodo o eléctrodo de diamante dopado com boro (BDD) tem recebido especial atenção nos últimos anos, porque apresenta elevadas eficiências de tratamento para todos os tipos de poluentes testados. O principal objectivo deste projecto foi estudar as melhores condições experimentais para a eliminação da carga poluente dos lixiviados e verificar a eficiência do tratamento electroquímico, em amostras colhidas em diferentes alturas do ano (Julho e Novembro de 2010) na Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes (ETAL) da Resistrela da Capinha, situada no Concelho do Fundão. As amostras estudadas neste trabalho foram colhidas à entrada e à saída do sistema de tratamento biológico e no permeado da ultrafiltração, sendo aqui designadas, respectivamente por EB, SB e PUF. Para atingir os objectivos, realizou-se um pré-tratamento de electrocoagulação (EC) pesquisando-se as melhores condições para esta técnica, testando diferentes condições experimentais, tais como, diferença de potencial aplicado (ddp), pH e existência ou não de agitação. As amostras provenientes dos ensaios de electrocoagulação foram, posteriormente, submetidas a um tratamento de oxidação anódica (OA), utilizando um ânodo BDD. Nas amostras de Julho, foram aplicadas duas intensidades de corrente (i) diferentes. No caso das amostras de Novembro, escolheram-se as duas melhores condições de electrocoagulação e aplicou-se a oxidação anódica a essas amostras. Para uma verificação da eficiência do tratamento realizaram-se determinações de carência química de oxigénio (COD), carbono orgânico total (TOC) e dissolvido (DOC), sólidos suspensos (SS) e dissolvidos (SD) e espectros de absorção no ultravioleta-visível das várias amostras retiradas ao longo do tempo dos tratamentos de electrocoagulação e de oxidação anódica. As melhores condições para a electrocoagulação para as amostras de Julho foram: 4 V, sem agitação e sem correcção do pH para amostra EB; 4 V, sem agitação e sem correcção do pH para a amostra SB; e 6V, com agitação a pH natural para a amostra PUF. Quanto à amostra de Novembro as melhores condições foram: EB – pH 6 e natural, sem agitação, 5 V; SB – pH 6, sem agitação, 5 V, e pH natural, sem agitação, 4 V; PUF – pH 6, sem agitação, 5 V, e pH natural, sem agitação, 4 V. As eficiências de remoção de COD para todo o sistema de tratamento, electrocoagulação e oxidação anódica foram de 19 e 29% para a amostra EB, 72 e 77% para a amostra SB e 93 e 96% para a amostra PUF, para as amostras recolhidas em Julho. Nas amostras recolhidas em Novembro as remoções foram de 46 e 72% para amostra EB, 81 e 75 % para a amostra SB e, por fim, 88 e 96% para a amostra PUF.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2484
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Química Industrial
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Débora_Silva.pdf6,11 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.