Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2489
Título: Avaliação da adesão e viabilidade celular em hidrogéis baseados no dextrano oxidado
Autor: Coelho, Sílvia Cláudia Gomes
Orientador: Correia, Ilídio
Palavras-chave: Células endoteliais
Células do músculo liso
Dextrano oxidado
Medicina regenerativa
Data de Defesa: 2008
Resumo: Hidrogéis injectáveis iniciadores livres são muito importantes para aplicações na engenharia dos tecidos e medicina regenerativa, nomeadamente na entrega de drogas e/ou células, desde que eles possam ser administrados de um modo invasivo mínimo, sem recorrer a iniciadores químicos que poderiam ser prejudiciais. Os diferentes materiais utilizados nestas áreas são designados por biomateriais e poderão ser futuramente utilizados no tratamento clínico de danos em tecidos humanos, com o benefício de regenerar os defeitos do corpo pelo próprio tecido hospedeiro. Os biomateriais podem também servir como estruturas tridimensionais que suportam o crescimento celular. O objectivo do presente trabalho de investigação foi avaliar a adesão e viabilidade celular em hidrogeís baseados no dextrano oxidado (dexOx) ligado com o ácido adípico dihidrazida (AAD) e/ou gelatina para futura aplicação destes biomateriais em substitutos de vasos sanguíneos. As placas de cultura contendo os biomateriais foram fornecidas pelo Departamento de Engenharia Química da Universidade de Coimbra. A construção eficiente de substitutos de vasos sanguíneos humanos é fortemente dependente do uso de células endoteliais viáveis e completamente funcionais. Inicialmente foram isoladas células endoteliais a partir das artérias do cordão umbilical humano, para se realizarem ensaios de biocompatibilidade nos biomateriais em estudo pelo método MTT. A presença das células endoteliais que expressam o factor von Willebrande e CD144 foi confirmada por imunofluorescência. Ao longo do presente projecto de investigação houve alguma dificuldade em isolar as células endoteliais humanas. Assim, e visto ser necessário um grande número de células para realizar os ensaios de biocompatibilidade, os ensaios MTT foram realizados com células endoteliais da córnea de coelho e com células de músculo liso humanas das artérias umbilicais. As diferentes formulações do dexOx reticulados com AAD e/ou gelatina foram dissolvidas em PBS ou em meio de cultura apropriado para cada tipo de células usadas. Os grupos aldeído presentes no dextrano oxidado reagem com o grupo hidrazida do agente reticulante AAD, aumentando os grupos hidroxilo que vão facilitar a adesão celular ao dextrano. A gelatina foi usada como agente de estabilização dos biomaterais. Os hidrogéis dissolvidos em meio de cultura e com baixo grau de oxidação promoveram adesão e crescimento celular. A viabilidade celular foi acima do controle positivo para todos os graus de oxidação do dextrano. Baseado nos resultados obtidos, estudos futuros serão realizados para estudar a aplicação do dextrano oxidado na preparação de substitutos de vasos sanguíneos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2489
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
1capa.pdf27,86 kBAdobe PDFVer/Abrir
2Agradecimentos e indice.pdf88,55 kBAdobe PDFVer/Abrir
3Resumo.pdf140,9 kBAdobe PDFVer/Abrir
tese.pdf3,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.