Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2490
Título: Desenvolvimento de biomateriais para futura aplicação em medicina regenerativa
Autor: Lavrador, Isabel Ferreira
Orientador: Correia, Ilídio
Palavras-chave: Artéria umbilical
Células do músculo liso
Engenharia de tecidos
Biomateriais
Data de Defesa: 2008
Resumo: A engenharia dos tecidos utiliza diferentes métodos e materiais para tentar obter estruturas com propriedades semelhantes aos tecidos que existem no organismo. Para isso utiliza diferentes materiais que são designados por biomateriais, contribuindo significativamente para diversos avanços no campo da Medicina Regenerativa. Estes têm como função reparar, substituir, manter ou melhorar a função particular de um tecido ou órgão. O presente projecto de investigação teve como objectivo avaliar a adesão celular e a viabilidade de hidrogéis tendo como base o dextrano oxidado, para posterior aplicação na medicina regenerativa, principalmente na produção de substitutos de vasos sanguíneos. Para isso procedeu-se inicialmente ao isolamento de células de músculo liso humanas, para posterior realização de ensaios de biocompatibilidade de vários hidrogéis com diferentes formulações de dextrano oxidado ligado aos agentes reticulantes ácido adipidico dihidrazido (AAD) e/ou gelatina (Gel) dissolvidos em DMEM-F12 ou em PBS. Estes biomateriais foram fornecidos pelo Departamento de Engenharia Química da Universidade de Coimbra. A presença das células de músculo lisas humanas na cultura primária foi confirmada por imunofluorescência com sinal positivo para a proteína de alfa - actina. Porém os primeiros ensaios de biocompatibilidade foram realizados com células de músculo liso de rato (A7r5) devido ao rápido crescimento destas células. E também de modo a proceder à optimização do método do MTT que foi realizado de modo a testar a citotoxicidade das várias formulações de dextrano. Ao longo deste estudo adicionou-se as células A7r5 e as células de músculo liso humanas aos diferentes hidrogéis, observou-se para os dois tipos de células de músculo liso que existe uma maior adesão e crescimento celular para as formulações de grau de oxidação inferior de dextrano, sendo o dextrano oxidado 5% (DexOx 5%) onde se obtiveram os melhores resultados. Assim como se observou maior adesão quando os materiais foram dissolvidos em DMEM-F12 em comparação aos dissolvidos em PBS. Os resultados obtidos fornecem novos dados importantes sobre a biocompatibilidade de hidrogéis tendo como base o dextrano oxidado para que, após futuros ensaios in vivo possam, num futuro próximo, ser utilizados na medicina regenerativa, na formação de substitutos de vasos sanguíneos
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2490
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CAPA.pdf208,95 kBAdobe PDFVer/Abrir
DMEM tabela final.pdf242,72 kBAdobe PDFVer/Abrir
PBS tabela final.pdf225,7 kBAdobe PDFVer/Abrir
TESE DE MESTRADO FINAL.pdf2,54 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.