Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2523
Título: Estudo das respostas neuropsicológicas associadas à utilização de campos magnéticos cerebrais no córtex pré-frontal em sujeitos normativos
Autor: Duarte, Marta Isabel Ferreira
Orientador: Simões, Maria de Fátima
Patto, Maria Assunção Vaz
Palavras-chave: Psicologia cognitiva
Estimulação magnética transcraniana
Trail making teste
Teste stroop de cores e palavras
Data de Defesa: 2012
Resumo: INTRODUÇÃO: A Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr) é uma técnica que possibilita a aplicação de campos magnéticos com capacidade excitatória ou inibitória, em determinadas áreas corticais e sub-corticais adjacentes, facilitando a compreensão da relação existente entre a cognição e o córtex (funções executivas e áreas corticais específicas) podendo essa avaliação ser efectuada através de testes neuropsicológicos. OBJECTIVOS: Através da aplicação do Trail Making Test e do Teste Stroop de Cores e Palavras, realizados em duas fases, antes e após uma sessão de EMTr, pretendeu-se recolher dados normativos para uma amostra de adultos jovens e comparar os resultados obtidos entre os diferentes grupos de indivíduos, tendo em conta o tipo de estimulação a que foram sujeitos (iTBS excitatória ou cTBS inibitória), comparando os resultados com os obtidos pelo grupo de controlo, submetido a estimulação placebo. Pretende-se também analisar se os resultados são influenciados pelo efeito de género e pela habituação. MATERIAIS E MÉTODOS: A amostra foi constituída por 40 indivíduos voluntários, saudáveis, com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, seleccionados através de um inquérito. Foram previamente estabelecidos critérios de inclusão e exclusão. A avaliação neuropsicológica foi efectuada através da aplicação do Trail Making Test e Teste Stroop de Cores e Palavras. RESULTADOS: Os resultados revelaram existir diferenças estatisticamente significativas entre as médias obtidas nas duas fases de realização da Parte A do TMT e na variável “interferência” do Teste Stroop, resultante da diferença verificada entre os Grupos A (excitatório) e Grupo B (inibitório). Em relação ao género, verificou-se a existência de diferenças estatisticamente significativas nas duas partes do TMT, tendo os elementos do género masculino obtido melhores resultados. Nas variáveis do Teste Stroop, não se observaram diferenças estaticamente significativas. CONCLUSÕES: Foi possível verificar que uma sessão de EMTr (TBS) – inibitório e excitatória - exerce efeito sobre determinadas funções executivas. Através da aplicação de testes psicológicos em duas fases de avaliação, antes e depois da estimulação, é possível analisar as alterações provocadas. Os resultados sugerem que, quando aplicada uma estimulação inibitória, no hemisfério esquerdo, esta promove a melhoria das funções predominantes no hemisfério direito e, por sua vez, quando a estimulação aplicada no hemisfério esquerdo é de carácter excitatório são impulsionadas as funções dominantes nesse hemisfério.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2523
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Psicologia
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE_FINAL.pdf821,21 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.