Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2590
Título: Representações, conhecimentos e práticas de educadores, professores e psicólogos no apoio a alunos com características de sobredotação
Autor: Almeida, Sónia Cristina Correia de
Orientador: Oliveira, Ema Patrícia de Lima
Palavras-chave: Sobredotação
Alunos sobredotados
Data de Defesa: 2010
Resumo: Pretende-se com este estudo analisar as representações e conhecimentos que os agentes educativos têm relativamente à educação de crianças com altas habilidades, na zona centro do país, bem como as práticas educativas que aplicam junto dos mesmos. Para o efeito, construímos um questionário composto por uma parte inicial de breve caracterização dos profissionais, seguindo-se de várias questões abertas, que visam avaliar a formação dos profissionais face à área da sobredotação, as percepções e os conhecimentos face à temática, a experiência com alunos com estas características, e as práticas de intervenção e avaliação que aplicam com os mesmos. A amostra foi constituída por 249 profissionais da educação, da região interior do Centro do país, 57 do género masculino e 192 do género feminino, sendo 64 educadores de infância, 56 professores do 1º Ciclo do Ensino Básico (CEB), 81 professores do 2º CEB, 27 professores do ensino especial e 21 psicólogos. Verificou-se que a percentagem de profissionais da educação com experiência e formação na área da sobredotação é muito limitada, sendo superior no grupo de psicólogos, comparativamente com o grupo de educadores ou docentes. Ficou patente que as áreas privilegiadas na sinalização de crianças com altas habilidades por parte dos profissionais da educação estão maioritariamente relacionadas com o domínio cognitivo, sendo também apontadas algumas dificuldades manifestadas pelos alunos. A grande maioria dos profissionais da educação assumiu não ter conhecimento do enquadramento legal e políticas educativas em vigor em contexto nacional para alunos com habilidades excepcionais de aprendizagem. Verificou-se que as principais medidas de intervenção implementadas pelos profissionais com estes alunos são a diferenciação pedagógica e o enriquecimento; e os principais procedimentos de avaliação aplicados por parte dos psicólogos são os testes psicométricos e os questionários em geral. Quando questionados sobre sugestões de mudanças a ocorrerem no contexto educativo nacional, a amostra apontou de forma mais significativa a necessidade de formação por parte dos profissionais de educação. Conclui-se que a maioria dos profissionais da educação, apesar de estarem sensibilizados sobre a necessidade de atendimento aos alunos com altas habilidades, têm ainda uma escassa formação e experiência neste domínio, o que poderá enviesar (ou atrasar) o processo de identificação destes alunos e limitar a intervenção e apoio fornecidos, face às suas características e necessidades educativas especiais.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2590
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Psicologia
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE - SONIA ALMEIDA.pdf1,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.