Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2608
Título: Estudo da história delitiva e auto-hetero percepção em sujeitos sob regime tutelar educativo
Autor: Varandas, Filipa Marques
Orientador: Maia, Luís Alberto Coelho Rebelo
Palavras-chave: Delinquências juvenil
Comportamento desviante
Data de Defesa: 2013
Resumo: Na presente investigação pretendeu-se analisar a influência de algumas variáveis psicológicas e relacionais na delinquência juvenil, focando também outras variáveis como problemas de comportamento, delinquência auto relatada, autoestima e desejabilidade social. Foi também analisada a influência de variáveis sociodemográficas e de tipo criminal dos sujeitos. A amostra é constituída por 99 participantes, com idades compreendidas entre os 14 e os 19 anos de idade. Desta amostra 33 sujeitos eram adolescentes delinquentes, a cumprirem Medidas Tutelares Educativas num Centro Educativo do Interior de Portugal e 66 eram não delinquentes. No estudo foram aplicados um questionário sociodemográfico e quatro instrumentos de medida psicológica a ambas a subamostras de sujeitos, Escala de Autoestima de Rosenberg, Questionário de a Agressividade, Inventário de Comportamentos delinquentes e a Escala de Desejabilidade Social de Marlowe-Crowne. Dos resultados obtidos destacam-se a influência da família como agente da socialização primária, inquiridos que possuem os pais divorciados são os que dão entrada mais novos no centro educativo uma vez que possui uma média superior (72.7). Os jovens com comportamentos delitivos são oriundos de famílias com níveis educativos baixos, mais de 35 % são analfabetos, os restantes oscilam entre o 1ºCEB e o 3º CEB. Parece haver uma associação entre os níveis de escolaridade e os diversos fatores ligados ao comportamento delitivo, os inquiridos que possuem apenas o 2º ciclo na escala de agressividade apresenta maiores índices (98.00), bem como na análise da escala da delinquência, os inquiridos com 1º Ciclo que dão mais importância à delinquência, tendo a média superior (73.61). Ao nível da autoestima negativa, o grupo 1 obtiveram uma média de 9.79 (DP=3.542) e o grupo 2 obtiveram média de 9.06 (DP=1.767), observando-se uma grande diferença estatisticamente significativa (t=-2.089; p=0.037 e t=-2.652; p=0.008), sendo que a média da diferença de pares foi de 0.73 (DP=2.655). O presente estudo torna-se pertinente na medida em que permite compreender magnitude com que os comportamentos delinquentes e violentos atingem a população mais jovem e se repercutem na sociedade dos nossos dias.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2608
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação + anexos última.pdf1,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.