Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2626
Título: Os determinantes do investimento das PME's portuguesas
Autor: Mendes, Sílvia Margarida Dinis
Orientador: Nunes, Paulo Maças
Teixeira, Zélia Maria da Silva Serrasqueiro
Palavras-chave: Nível de investimento
Pequenas e médias empresas
Data de Defesa: 2011
Resumo: Neste estudo, com base numa amostra de PME´s Portuguesas estudamos os determinantes do investimento em contexto de PME´s. Como determinantes do investimento consideramos: 1) investimento do período anterior, 2) as vendas, 3) os cash-flows, 4) o endividamento, 5) a idade, 6) as oportunidades de investimento, 7) taxas de juro, e 8) Produto Interno Bruto. Após a revisão da literatura, procedemos à apresentação dos resultados empíricos. Inicialmente, estudamos os determinantes do investimento independentemente da sua idade e do nível de investimento das PME´s. Numa segunda fase, estudamos as diferenças nos determinantes do investimento de PME´s jovens e PME´s velhas, independentemente do nível de investimento das PME´s. Numa terceira fase, estudamos as diferenças nos determinantes do investimento das PME´s com níveis inferiores e superiores de investimento, independentemente da sua idade. Finalmente, numa quarta fase, estudamos conjuntamente os efeitos da idade e do nível de investimento sobre as relações que se estabelecem entre determinantes e investimento das PME´s. Metodologicamente, recorremos a uma amostra de 1845 PME´s Portuguesas, das quais 495 são jovens e 1350 são velhas. Para estimarmos os resultados, com o objectivo de evitarmos o possível enviesamento dos resultados, consequência da problemática da sobrevivência, recorremos ao método de estimação em dois passos proposto por Heckman (1979). Numa primeira fase, estimamos regressões probit com o objectivo de estimarmos o The Inverse Mill´s Ratio, variável esta que será usada na segunda fase das estimações aquando da estimação das relações entre determinantes e investimento. Numa segunda fase, recorremos a estimadores dinâmicos de painel por forma a estimarmos as relações entre determinantes e investimento, para a totalidade de PME´s independentemente da sua idade e nível de investimento, e para verificarmos as diferenças nas relações entre determinantes e investimento das PME´s jovens e PME´s velhas, recorrendo a regressões de quantis para determinarmos as diferenças nos determinantes do investimento das PME´s com níveis inferiores e superiores de investimento, e para verificarmos a influência conjunta da idade e do nível de investimento sobre as relações que se estabelecem entre determinantes e investimento das PME´s. Para a totalidade de PME´s, sem considerar a influência da idade e do nível de investimento sobre as relações que se estabelecem entre determinantes e investimento, verificamos que: 1) o investimento do período anterior, os cash-flows, e o Produto Interno Bruto, são determinantes impulsionadores do investimento das PME´s; 2) o endividamento, e as taxas de juro, são determinantes restritivos do investimento das PME´s; e 3) as vendas, a idade, e as oportunidades de crescimento, não são determinantes impulsionadores, nem restritivos, do investimento das PME´s. No que concerne às diferenças nas relações entre determinantes e investimento das PME´s jovens e PME´s velhas, as múltiplas evidências empíricas obtidas permitemnos concluir que se verificam diferenças significativas nos determinantes do investimento das PME´s jovens e PME´s velhas: 1) os cash-flows, a idade, as oportunidades de crescimento, e o Produto Nacional Bruto, assumem maior importância relativa para o aumento do investimento das PME´s jovens, comparativamente ao que sucede no contexto das PME´s velhas; 2) as vendas assumem maior importância relativa para o aumento do investimento das PME´s velhas, comparativamente ao que sucede no contexto das PME´s jovens; e 3) o endividamento e a taxa de juro assumem maior importância para a diminuição do investimento das PME´s jovens, comparativamente ao que sucede no contexto das PME´s velhas. Os resultados respeitantes às diferenças nas relações entre determinantes e investimento das PME´s com níveis inferiores e superiores de investimento, indicamnos que: 1) as vendas, a idade e as oportunidades de crescimento são determinantes restritivos do investimento para níveis inferiores de investimento, mas determinantes impulsionadores do investimento para níveis superiores de investimento; 2) o endividamento, e as taxas de juro são determinantes restritivos do investimento mas somente para níveis inferiores de investimento; 3) os cash-flows são determinante impulsionador do investimento, mas assumem maior importância relativa para o aumento do investimento para níveis inferiores de investimento; 4) o Produto Interno Bruto é determinante impulsionador do investimento, mas somente para níveis superiores de investimento; e 5) o investimento do período anterior é determinante impulsionador do investimento no período actual, mas somente para níveis superiores de investimento. Finalmente, as evidências empíricas obtidas para a influência conjunta da idade e do nível de investimento sobre as relações que se estabelecem entre determinantes e investimento, indicam-nos que: 1) para as PME´s jovens com níveis superiores de investimento verificamos a particular importância do investimento do período anterior, do endividamento, da idade, e das oportunidades de crescimento como determinantes potenciadores do investimento; e 2) para os restantes tipos de PME´s destaca-se a importância dos cash-flows como determinante impulsionador do investimento, e as taxas de juro como determinante restritivo investimento das PME´s jovens com níveis inferiores de investimento, assim como o facto do endividamento e das oportunidades de crescimentos serem determinantes restritivos do investimento das PME´s velhas, e as vendas serem determinante impulsionador do investimento das PME´s velhas com níveis superiores de investimento. As múltiplas evidências empíricas permitem-nos concluir que a idade e o nível de investimento das PME´s têm influência significativa na aplicabilidade das diversas teorias explicativas do investimento, nomeadamente a teoria Neoclássica, a teoria dos Cash-flows Livres, e a teoria da Agência, às relações que se estabelecem entre determinantes e investimento das PME´s Portuguesas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2626
Designação: Tese apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Doutor em Economia
Aparece nas colecções:FCSH - DGE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ATT00097.pdf1,09 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.