Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2656
Título: A motivação nos formadores
Autor: Marques, Ana Catarina Ramos
Orientador: Simões, Maria de Fátima
Palavras-chave: Inteligência emocional
Formação profissional
Data de Defesa: 2012
Resumo: Atualmente, os Formadores e todos os Professsores em geral têm no seu contexto vários impedimentos, um deles de ordem emocional. Estes obstáculos podem resultar de um princípio natural ou apresentar-se como uma consequência. Afetando todos aqueles que com o Formador privam, comprometem as relações interpessoais e intrapessoais, refletindo-se desta forma na sua prática pedagógica e no grupo de formandos que o acompanha. Importa que a sociedade civil tome disto consciência e construa novos caminhos para o bem-estar emocional, desenvolvendo estratégias de autorregulação emocional na formação contínua do Formador e na procura de novas ferramentas de trabalho, com o objetivo de se contrariarem os constrangimentos que vão surgindo no exercício da profissão. Posto isto, evidencia-se a necessidade de áreas de competências da Inteligência Emocional nas entidades formativas, na medida em que a vida social e pessoal do formador se encontra interligada com as suas emoções e regulação. Precedeu este estudo de caso o objetivo de mostrar como o Formador, enquanto transmissor de um conhecimento e enquanto pessoa, se pode moldar consoante as emoções e sentimentos que vivencia nas instituições/entidades de formação. A metodologia baseou-se, essencialmente, em entrevistas a Formadores de várias áreas científicas e tecnológicas, previamente selecionados. Em seguida, procedeu-se a uma análise relevante dos dados, de forma a aferir os sentimentos/sensações e motivação interna/externa a que os formadores estão sujeitos e de que modo podem implicar no seu sucesso pessoal e profissional. Foi também realizada uma recolha paralela de informações/contributos que permitem demonstrar que as entidades/instituições formativas podem contribuir para o bem-estar emocional sentido pelos formadores e em todo o contexto de formação. Considerando os principais resultados obtidos, concluiu-se que o bem-estar emocional, provocado fundamentalmente pela forte persistência e motivação na profissão, decorre da operacionalização de algumas das habilidades provenientes da Inteligência Emocional pessoal desenvolvidas por cada um ao longo da sua experiência profissional.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2656
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Supervisão Pedagógica
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese 18-10-2012.pdf592,42 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.