Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2705
Título: Relatório de estágio realizado na Escola Secundária com 3º ciclo do Fundão
Autor: Freire, João Filipe Madeira da Silva
Orientador: Esgalhado, Maria da Graça Proença
Palavras-chave: Ensino secundário
Serviço de psicologia e orientação
Data de Defesa: 2008
Resumo: Integrados no espaço europeu de Bolonha, o ensino e a aprendizagem da Psicologia assumem hoje, em Portugal, como nos restantes países europeus, o objectivo de orientar os currículos universitários para o treino profissional de competências (Programa Leonardo da Vinci, 2001). Foi deste contexto que se começaram a construir as bases do Diploma do Psicólogo Europeu, ou EuroPsy, também no âmbito do Programa Leonardo da Vinci. Os seus autores, sobre a égide da Federação Europeia de Associações de Psicólogos (EFPA, em inglês), à luz das Declarações de Sorbonne (1998) e Bolonha (1999) e também das exigências científicas, técnicas e económicas que a actualidade exige aos profissionais da Psicologia, estipularam os pressupostos de mobilidade transnacional e prestação de serviços de elevada qualidade, indispensáveis para a construção do espaço europeu da Psicologia. No sentido de fazer encontrar os caminhos das diferentes Universidades europeias que leccionam a Psicologia, foi definido um conjunto de competências, bem como determinada a formação superior mínima de 5 anos, conducentes à obtenção do diploma referido e consequentemente ao exercício lícito da profissão de psicólogo. O conjunto de competências distingue-se em dois grandes grupos: o das competências primárias e o das secundárias ou capacitantes. No grupo das primárias, podemos encontrar 20 competências gerais que todos os psicólogos devem evidenciar, agrupadas, por sua vez, em 6 categorias que se relacionam com papéis profissionais, nomeadamente a (1) especificação de objectivos, a (2) avaliação prévia, o (3) desenvolvimento, a (4) intervenção, a (5) avaliação posterior e a (6) comunicação. No grupo das competências secundárias, encontramos um conjunto de nove categorias que se relacionam com o exercício da profissão em geral e que o psicólogo deve evidenciar através da prática das competências primárias, nomeadamente, a (1) estratégia profissional, o (2) desenvolvimento profissional contínuo, as (3) relações profissionais, a (4) pesquisa e desenvolvimento, o (5) marketing e “venda”, a (6) gestão de clientes, a (7) gestão da prática, a (8) garantia da qualidade e a (9) auto-reflexão. O treino das competências e a capacidade da sua prática flexível e dinâmica assumem-se, portanto, como o indicador da atribuição do Diploma de Psicólogo Europeu e, consequentemente, da elegibilidade para se ser ou não psicólogo. Neste âmbito, o Mestrado em Psicologia da Universidade da Beira Interior traça-se assentando em três pilares fundamentais intimamente ligados ao diploma descrito: a (1) avaliação, a (2) intervenção e a (3) investigação psicológicas. No que concerne à avaliação psicológica, Meyer et al. (2001), numa meta-análise abrangente, concluíram que a testagem psicológica apresenta uma forte validade, comparável à avaliação médica e quando diversificada produz informação única, indispensável e de elevada fiabilidade para a intervenção. Esta, por sua vez, define-se muito pelos campos da Psicologia aplicada e resulta, talvez, no campo de maior expressão social e científica da Psicologia, em geral. Por último, a investigação, liga-se quer à avaliação psicológica, pela coincidência de instrumentos, quer à intervenção, como base fundamentada das estratégias utilizadas. Desenvolver e praticar as competências inerentes a avaliar, intervir e investigar foram e são, portanto, os objectivos primários do estágio e investigação que descrevemos e sobre as quais reflectimos neste relatório, que é composto por quatro capítulos. No capítulo I, caracterizamos a Escola onde o estágio se desenvolveu, descrevendo e reflectindo quer sobre as suas características materiais, quer sobre as características humanas. No capítulo II, relatamos e analisamos as diferentes acções de avaliação e intervenção, individual e em grupo, que promovemos junto dos alunos. O capítulo III descreve ainda as acções de intervenção indirecta, isto é, as actividades que desenvolvemos junto de pais, docentes e pessoal não docente. O capítulo IV, por último, descreve a investigação sobre as abordagens ao estudo em alunos de Ensino Superior, tomando como amostra os alunos de 1.º ano da UBI. A estrutura utilizada foi escolhida do sentido de facilitar a compreensão das actividades desenvolvidas do ponto de vista da população-alvo que se pretendia avaliar, estudar ou intervir: a comunidade educativa no primeiro capítulo, os alunos no segundo, os diferentes agentes educativos no terceiro e, por último, no quarto capítulo, os alunos universitários, uma população escolar diferenciada, não directamente ligada às actividades de estágio, mas com igual pertinência para o campo da investigação em Psicologia da Educação. Em síntese, pretendemos que este documento reflicta as experiências de aprendizagem, quer no que concerne a resultados, ou seja, o produto na nossa acção, quer no que concerne a processos, isto é, de que forma desenhámos e construímos os caminhos e os percorremos, vencendo obstáculos, no sentido de atingir os produtos desejados.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2705
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Psicologia
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatorio de Estagio_2Ciclo_Psicologia_UBI_2008_M1980.pdf481,78 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.