Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2713
Título: Comparação da percepção visual de figuras possíveis e impossíveis em pacientes esquizofrénicos do subtipo paranóide e sujeitos normativos
Autor: Rodrigues, Verónica Maria
Orientador: Loureiro, Manuel Joaquim da Silva
Palavras-chave: Percepção visual
Esquizofrenia
Data de Defesa: 2011
Resumo: A investigação sobre a esquizofrenia abordou as deficiências dos pacientes em processos perceptivos. Todavia nos primeiros tempos pensou-se que a patologia se devia a uma perturbação do pensamento que interpretava de forma errónea uma percepção normal. Nesta linha, a multiplicidade de trabalhos deixaram de lado o estudo do pensamento e centraram-se no estudo da normalidade e anormalidade da percepção em pacientes com esquizofrenia. É de salientar, porém que estes pacientes demonstram défices em todos os domínios do funcionamento cognitivo. No presente estudo investigou-se a capacidade dos pacientes com esquizofrenia para descriminar a possibilidade ou a impossibilidade em determinadas figuras: Para esse efeito, utilizaram-se como estímulos visuais 8 figuras geométricas possíveis e 8 figuras geométricas impossíveis, bem como 20 figuras possíveis e impossíveis que retrataram o realismo-mágico. Deste modo, as figuras foram dispostas através de suporte informático denominado por superlab, sendo que as 20 imagens possíveis e impossíveis correspondentes ao realismo mágico, eram expostas com limite de tempo entre os estímulos cerca de 30000 milésimos de segundo. A hipótese proposta foi que os sujeitos com esquizofrenia obteriam piores resultados que os sujeitos normativos na percepção da possibilidade ou impossibilidade das imagens apresentadas. Deste modo, compararam-se 16 pacientes com esquizofrenia e 16 sujeitos normativos no desempenho da tarefa de discriminação. A amostra em estudo é constituída por 32 sujeitos (8 mulheres e 24 homens), sendo que as mulheres apresentaram maior percentagem de acerto do que os homens. Por último, a média global de acerto nos grupos de estímulos Geométricos e de Realidade Mágica, Possíveis e Impossíveis não diferem segundo o tipo de amostra.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2713
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
T_Mest_Veronica.pdf1,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.