Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2714
Título: Perturbação de hiperactividade com défice de atenção PHDA: convergência da avaliação entre diferentes fontes
Autor: Ribeiro, Vera Lúcia Gomes
Orientador: Oliveira, Ema Patrícia de Lima
Palavras-chave: Hiperactividade
Défice de atenção
Data de Defesa: 2011
Resumo: No DSM-IV, afirma-se que, a fim de estabelecer o diagnóstico de PHDA, algumas das alterações causadas pelos sintomas (desatenção, hiperactividade e impulsividade) devem ocorrer em dois ou mais contextos (por exemplo, em casa e na escola), por isso, o uso de diferentes fontes de informação (pais e professores) é útil e indispensável no processo de diagnóstico. O uso combinado de escalas de avaliação permite avaliar a frequência e a intensidade dos sintomas, proporcionando valores de referência normativos, que facilitam o diagnóstico e o acompanhamento de forma objectiva. O estudo desenvolvido tem como principais objectivos gerais analisar a convergência da avaliação da PHDA entre diferentes fontes, nomeadamente a partir da avaliação comportamental (através das CRS-R para pais e professores) e da avaliação cognitiva (através da WISC-III) em crianças do 1º ciclo com suspeita de PHDA. A amostra incluída na investigação perfez uma totalidade de 60 crianças (42 rapazes e 18 raparigas) com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos, acompanhadas no CHCB e no HAL por suspeita de PHDA. Os instrumentos utilizados foram as Conners’ Rating Scales – Revised (Long Version) (CRS-R) para pais e professores e a Escala de Inteligência de Wechsler para crianças – Terceira Edição (WISC-III). Os principais resultados/conclusões por nós obtidos foram: 1) quando consideradas as subescalas e índices das CRS-R, a concordância entre pais e professores é mais elevada quando se avaliam comportamentos externalizantes; 2) quando avaliada a convergência na sinalização de sintomas de PHDA, apurou-se que existe consonância quando identificados sintomas de hiperactividade-impulsividade, não havendo convergência relativamente aos sintomas de desatenção; 3) quando associadas a WISC-III e as CRS-R, conclui-se que o Índice de Velocidade de Processamento é o melhor preditor na avaliação da PHDA, tanto de tipo Hiperactivo/Impulsivo como de tipo Combinado, quando o informador é o professor; 4) quando relacionadas a WISC-III e os sintomas de PHDA, tanto os sintomas de desatenção como os de hiperactividade-impulsividade estão associados com provas verbais da WISC-III; e 5) segundo os professores existem diferenças de género para o Índice de Sintomas do DSM-IV e para as subescalas que o integram, com valores mais elevados nas raparigas; na perspectiva dos pais apuramos que existem diferenças de género na Subescala de Sintomas de Desatenção, sendo o género feminino a pontuar valores mais altos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2714
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Convergência da avaliação entre diferentes fontes (Vera Ribeiro).pdf988,72 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.