Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2720
Título: Competências emocionais e sentimento psicológico de comunidade de estudantes pertencentes aos países PALOP e CPLP da UBI
Autor: Martins, Eliane Patricia Morais Fonseca
Orientador: Esgalhado, Maria da Graça Proença
Palavras-chave: Participação cívica
Inteligência emocional
Data de Defesa: 2012
Resumo: Com este estudo pretende-se avaliar as competências emocionais e o sentimento psicológico de comunidade nos estudantes dos países PALOP e CPLP a frequentar o ensino superior na Universidade de Beira Interior (UBI). Propõe-se a comparação dos resultados nestas variáveis entre géneros, idade, nacionalidade e em função do tempo de frequência na UBI. A amostra do estudo é composta por 153 estudantes dos países CPLP e PALOP, sendo, 72 do sexo feminino e 81 do sexo masculino, pertencentes aos seguintes países: Cabo Verde, Angola, Moçambique, Guiné - Bissau, Timor, São-Tomé e Príncipe, Brasil (49,7%) e Portugal (50,3%). A média das idades é de 22,62 anos e o D.P. é de 3,74 anos. Utiliza-se a Escala Breve do Sentido de Comunidade (EBSC) (Lind & Marante, 2010) e a Escala da Importância da Comunidade (EIC) (Moreira & Lind, 2010), a Escala de Competências Emocionais (QCE) (Faria & Santos, 2001) e um questionário de dados. Os participantes deste estudo evidenciam boas competências emocionais (M= 199,46;DP = 22,82; mediana 201,50) para uma mediana teórica de 159. As pontuações médias no sentimento psicológico de comunidade (EBSC total), são M= 28,41 (DP = 4,43) e mediana 29, para uma mediana teórica de 24, pelo que evidenciam um bom sentimento psicológico de comunidade. Quanto a importância da comunidade, os valores médios são de 6,32 (DP =1,58; mediana 6). A mediana teórica é de 7, pelo que atribuem uma importância relativa à comunidade. Verifica-se que não existem diferenças estatisticamente significativas nas competências emocionais entre as variáveis género, idade, e tempo de frequência na universidade e as escalas. Observa-se que no sentido psicológico de comunidade existem diferenças estatisticamente significativas entre os países PALOP e CPLP não portugueses (M=26,86;DP=4,11) e portugueses (M= 29,92; DP=4,23). Também se verificam diferenças estatisticamente significativas na importância atribuída a comunidade, sendo os estudantes portugueses aqueles que atribuem maior importância a comunidade (M=6,77; DP=1,59) comparativamente com os estudantes dos países PALOP e CPLP não portugueses (M= 5,86; DP=1,45). Verificou-se ainda uma relação preditiva entre o sentimento psicológico de comunidade e as competências emocionais. Em suma, o sentimento psicológico de comunidade parece contribuir para a melhoria do bem-estar físico e psicológico do indivíduo, assim como possibilita aos indivíduos uma boa convivência em comunidade/sociedade.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2720
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Capa.pdf85,88 kBAdobe PDFVer/Abrir
Tese de Mestrado - Eliane Patricia Martins.pdf826,26 kBAdobe PDFVer/Abrir
Capa do Anexo.pdf15,43 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo I.pdf185,9 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.