Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2816
Título: O género e a comunicação social : a opinião escrita e radiofónica
Autor: Loureiro, Marlene da Conceição Vasques
Orientador: Rei, José Esteves
Gradim, Anabela
Fernandes, Gonçalo
Palavras-chave: Comunicação - Mass media - Diferença entre sexos
Comunicação oral - Diferença entre sexos - Portugal
Comunicação escrita - Diferença entre sexos - Portugal
Diferenças de género - Comunicação social
Data de Defesa: 2012
Resumo: Atualmente, a sociedade aclama a igualdade entre homem e mulher. No entanto, no que diz respeito ao uso da linguagem, essa igualdade não pode ser proclamada. Homem e Mulher falam de modo diferente e têm distintos registos conversacionais e, por isso, interpretam a mesma conversação de forma diversa. Esta divergência no uso da linguagem está estritamente relacionada com o género, o que, por sua vez, está associado a diferenças psicológicas, sociais e culturais. Assim, vários foram os investigadores que, a partir da década de 70 do século passado, se debruçaram sobre as diferenças comunicativas de género, nomeadamente Robin Lakoff (1975), Barrie Thorne e Nancy Henley (1975), Dale Spender (1980), Deborah Tannen (1990), Deborah Cameron (1996 e 2006), Clare Walsh (2001), Mary Talbot (2003), Jane Sunderland (2006) entre outros. Tendo como ponto de partida estes e outros estudos, o nosso trabalho de investigação procurou verificar essas diferenças comunicativas e como se refletem em textos de opinião nos media portugueses. Desta forma, analisamos textos de opinião, metade de autoria feminina e outros tantos de autoria masculina, publicados em jornais e revistas nacionais com data de 2009, 1999, 1989 e 1979. Esta análise, transversal a quatro décadas a partir da queda da ditadura em 1974, permite-nos fazer uma análise diacrónica tendo em conta a evolução do contexto sociocultural português. Por outro lado, analisamos ainda programas de rádio com intervenientes femininos e masculinos, com o objetivo de aferir em que medida as diferenças comunicativas entre homens e mulheres se mantêm ou divergem no registo oral. Assim sendo, o nosso estudo procura verificar se realmente existem discrepâncias discursivas entre homens e mulheres e como elas se refletem na comunicação oral e escrita mediatizada. A partir da análise realizada, através de dois programas informáticos de análise de texto e levantamento estatístico de dados - o Tropes Semantic e o Lexicon -, sistematizamos as principais clivagens e caraterísticas discursivas dos dois géneros.
Nowadays society claims for equality between men and women. However, with regard to the use of language, this equality may be not proclaimed. Men and Women speak differently and have different conversational registers, and, therefore they can interpret the same conversation differently. This difference in language use is strictly related to gender, which, in turn, is associated with cultural, social and psychological differences. Thus, there were several researchers who, from the 70s of last century, have addressed gender communication differences, such as Robin Lakoff (1975), Barrie Thorne and Nancy Henley (1975), Dale Spender (1980), Deborah Tannen (1990), Deborah Cameron (1996 e 2006), Clare Walsh (2001), Mary Talbot (2003), Jane Sunderland (2006), among others. Taking as a starting point these and other studies, our research work aims to explore how those communication differences are reflected in opinion texts of Portuguese media. Therefore, we analyse opinion texts, half of female authorship and others of male authors, which were published in national newspapers and magazines dating from 2009, 1999, 1989 and 1979. This analysis, crossing four decades since the fall of the dictatorship in 1974, allows us to make a diachronic analysis taking into account the evolution of the social-cultural Portuguese context. In other hand, we also analyse radio programs with male and female speakers in order to assess to what extent the communicative differences between men and women diverge or maintain in the oral register. So, our study seeks to verify whether there really are discursive discrepancies between men and women and how these are reflected in mediated oral and written communication. From the analysis carried out by two computer programs for text analysis and statistical data – Tropes Semantic and Lexicon – we systematize the main cleavages and discursive features of the two genders.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2816
Designação: Doutoramento em Ciências da Comunicação
Aparece nas colecções:FAL - DCA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Marlene Loureiro.pdfDocumento principal3,18 MBAdobe PDFVer/Abrir
Anexos_Marlene Loureiro.pdfAnexos2,32 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.