Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2828
Título: Direitos humanos e diversidade cultural: análise da prática cultural da mutilação genital feminina
Autor: Oliveira, Andreia
Orientador: Cierco, Teresa
Palavras-chave: Mutilação genital feminina -- Direitos humanos
Multiculturalismo -- Direitos humanos
Data de Defesa: 2013
Resumo: Esta dissertação trata-se de uma pesquisa que engloba os direitos humanos e a diversidade cultural com o objectivo de os confrontar com a prática cultural da mutilação genital feminina, de forma a perceber qual a melhor maneira de parar esta prática sem que essa acção pareça um acto de imperialismo cultural por parte da cultura de direitos humanos. O actual clima de intensa globalização como aquele que se vive actualmente, o receio da homogeneização é cada vez maior e as reacções das diversas culturas trazem à superfície as diferentes identidades culturais que clamam por respeito. Contudo, algumas práticas culturais, embora pertençam a culturas bastante ricas, acabam por impedir o desenvolvimento completo da pessoa humana e entre estas práticas encontra-se a mutilação genital feminina, prática sobre a qual recai a escolha para esta dissertação. A mutilação genital feminina é praticada em vários países africanos e em alguns países do Médio Oriente e tem sido alvo de várias críticas por parte de grandes organizações a nível mundial, como a Organização Mundial de Saúde, a UNESCO e a UNICEF. Contudo, as sociedades que praticam a mutilação genital feminina possuem várias crenças que levam à continuidade da prática e utilizam vários mecanismos para garantir que as mulheres se submetem a ela. Durante este estudo verifica-se que a prática é violadora dos direitos humanos de mulheres e crianças e que é necessário erradica-la, por todas as consequências e riscos para a saúde que ela acarreta, no entanto esta erradicação da mutilação genital feminina não pode ser imposta às sociedades que a praticam, mas sim, tem de ser alcançada através de um dialogo intercultural que permita às comunidades perceberem que esta prática não é benéfica e que as suas crenças não são, totalmente, correctas, mas também faze-las entender que o facto de estarem a abdicar de uma prática cultural que as caracteriza não estão a descaracterizar ou a abdicar da sua cultura como um todo.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2828
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Relações Internacionais
Aparece nas colecções:FCSH - DS | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CAPA TESE.pdf340,76 kBAdobe PDFVer/Abrir
tese completa.pdf731,23 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.