Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2852
Título: Estudo de adsorção de péptidas a suporte de interacção hidrofóbica sob condições cromatográficas de não sobrecarga
Autor: Nunes, Catherine Augusta
Orientador: Cabral, Ana Cristina Mendes Dias
Palavras-chave: Cromatografia de interacção hidrofóbica
Condições cromatográficas lineares
Data de Defesa: 2008
Resumo: Para explicar o mecanismo de adsorção subjacente à HIC da Angiotensina I foi efectuada a técnica sob condições lineares. As medidas experimentais foram realizadas em função do tipo de sal e sua concentração, da temperatura e do tipo de ligando no adsorvente para a Angiotensina I e seus derivados. Sob condições isocráticas e a elevadas concentrações de sal, uma característica da performance da Angiotensina I foi o “broadening” do pico e em muitos dos casos o aparecimento de dois picos. Estes resultados foram interpretados em termos da isomerização cis-trans da Angiotensina I (polipéptido com um resíduo de prolina) na coluna seguida de uma “re-conformação” após interacção com o suporte. Foi proposto que o fenómeno de pico “splitting”, o efeito combinado entre a temperatura, concentração de sal na fase móvel e o ligando na fase estacionária é causado por cinética de isomerização lenta que se encontram na mesma escala de tempo que a separação cromatográfica. A concentração de sal e a temperatura promovem a conversão da forma trans da Angiotensina I na forma cis, que tem uma maior área superficial hidrofóbica, em presença do suporte. A retenção da forma trans da Angiotensina I aumenta de uma força geral com o aumento da concentração de sal na fase móvel e é afectada ligeiramente pelo efeito da temperatura. Para além do suporte Butyl-Sepharose referido acima também foram examinados mais dois suportes hidrofóbicos (Phenyl-Sepharose e Octyl-Sepharose). O estudo do comportamento da Angiotensina I com os vários suportes indicou um aumento de retenção com o aumento do comprimento da cadeia n-alquilo do ligando, observando-se que o ligando aromático phenyl promove a alteração de conformação (isomerização cis-trans) da Angiotensina I a concentrações salinas mais baixas que nos outros suportes. Os suportes foram considerados como catalisadores do processo de isomerização cis-trans. Outro factor também estudado foi a substituição de aminoácidos em posições distintas da Angiotensina I para utilização em HIC usando a Butyl-Sepharose e tendo em conta o efeito da concentração de sulfato de amónio. Estes resultados demonstraram que tanto os aminoácidos da posição 5 como da posição 10 da Angiotensina I se encontram envolvidos na interacção hidrofóbica. Com base neste trabalho consideramos que a Angiotensina I pode ser um péptido modelo para estudos posteriores em HIC.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2852
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Microsoft Word - capa do projecto de mestrado.pdf2,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.