Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2865
Título: Biofuncionalização do algodão com L-cisteína: estudo do efeito antibacteriano e dos mecanismos de acção contra S. aureus e K. pneumoniae
Autor: Caldeira, Estela Sofia de Almeida
Orientador: Gouveia, Isabel Cristina Aguiar de Sousa e Silva
Palavras-chave: Têxteis biomédicos
Algodão - L-cisteína
Data de Defesa: 2012
Resumo: Nos últimos tempos a procura pelos produtos de origem natural tem vindo a aumentar e, como resultado, a procura por fibras têxteis naturais também tem aumentado. O Algodão é a fibra têxtil mais importante devido à sua versatilidade, que faz com que este seja a fibra têxtil com maior número de aplicações. A necessidade de utilizar tecidos com propriedades antimicrobianas surgiu devido à necessidade de os proteger contra o apodrecimento causado por microrganismos. De facto, o crescimento de microrganismos nos têxteis apresenta uma série de efeitos indesejados, não apenas nos próprios têxteis mas também em quem os utiliza. Por estes motivos, é necessário que o crescimento dos microrganismos nos têxteis, durante o seu uso e armazenamento, seja minimizado. Para se seleccionar um agente antimicrobiano é necessário ter em conta algumas condições: eficácia contra um amplo espectro de bactérias e fungos, durabilidade do acabamento, baixa toxicidade para o utilizador e ambiente, o método de incorporação e a capacidade de fixação, e devem ser de baixo custo. O objectivo deste trabalho consiste na obtenção de um material têxtil de algodão funcionalizado com L-Cisteína (L-Cys) para obtenção de um efeito antibacteriano, com potencial aplicação em materiais têxteis biomédicos, geriátricos e pediátricos. Para tal, testou-se a capacidade de ligação da L-Cisteína às fibras de algodão, com funcionalização por esgotamento e impregnação, com posterior análise da possível acção anti-microbiana sobre Staphylococcus aureus e Klebsiella pneumoniae. Procedeu-se também à determinação da concentração mínima inibitória (MIC) do composto em causa para posterior comparação com a percentagem inibitória presente na fibra, e com a de outros biocidas já conhecidos. A inibição do crescimento das estirpes mencionadas foi verificada de acordo com a Norma JIS L 1902- 2002. Efectuaram-se alguns ensaios de controlo da qualidade da fibra e do acabamento, nomeadamente ensaios de resistência ao rasgo e à lavagem. O ensaio de Ellman’s nas amostras e análise elementar por Energia Dispersiva de Raios X (EDX) permitiu confirmar a presença da L-Cisteína nas fibras de algodão. Recorreu-se ainda à técnica da citometria de fluxo para determinar o mecanismo de acção do composto em estudo sobre as estirpes seleccionadas. Os resultados obtidos neste trabalho revelaram que este processo confere bioactividade ao material tratado, traduzida através de efeito antibacteriano em bactérias Gram positivas e Gram negativas, avaliado pela norma JIS L 1902-2002, com efeito permanente comprovado através dos ensaios de solidez à lavagem realizados. Foi possível verificar ainda que o mecanismo de acção da L-Cys sobre as bactérias em estudo reside na ocorrência de alterações na actividade metabólica destas bactérias, sendo também visível alguma despolarização de membrana.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2865
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de mestrado_Estela Caldeira.pdf973,73 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.