Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2879
Título: Barreiras à capacidade inovadora empresarial: estudo nas empresas portuguesas
Autor: Nunes, Alexandra Sofia Caramelo
Orientador: Silva, Maria José Aguilar Madeira
Palavras-chave: Desenvolvimento económico - Empresas
Gestão de empresas - Pequenas e médias empresas
Data de Defesa: 2008
Resumo: A presente investigação visa identificar as barreiras à inovação que influenciam o processo inovador nas empresas industriais portuguesas e, consequentemente, a sua capacidade inovadora. É reconhecido que a inovação se trata de uma temática bastante importante, no que toca ao desenvolvimento das vantagens competitivas, seja de uma empresa, uma região, ou mesmo, um país. Na época de globalização e de forte competição em que se vive, surge cada vez mais, a necessidade de fazer algo que distinga dos concorrentes e a inovação é o caminho a seguir. O presente estudo tem como quadro teórico de referência diversas abordagens sobre inovação empresarial, nomeadamente a abordagem sistémica da inovação e a abordagem das redes e das relações inter-organizacionais. Considerando que a inovação empresarial é um processo não linear, evolucionário, complexo e interactivo entre a empresa e o seu meio envolvente, este estudo visa desenvolver um suporte teórico assente nas actuais abordagens de referência, corroborado por um suporte empírico, que visa, fundamentalmente, identificar e analisar os factores que condicionam a actividade e o desempenho inovador das empresas. No sentido de testar as hipóteses formuladas utilizam-se dados secundários facultados pelo “Observatório da Ciência e do Ensino Superior” (OCES), pertencentes ao 4º Inquérito Comunitário à Inovação – Community Innovation Survey (CIS 4). Este questionário foi implementado em vários países da Europa sob a supervisão do EUROSTAT. O método utilizado no teste é o modelo de regressão logística. Tendo em conta o conceito de capacidade inovadora empresarial, para efeitos do estudo, esta abarca quatro dimensões: inovação no produto, processo, marketing e organizacional. A nível global de análise da capacidade inovadora empresarial destaca-se, como barreira principal, o factor de âmbito económico: falta de financiamento de fontes externas, comum a todos os tipos de inovação, excepto para a inovação de marketing onde nenhuma barreira se demonstrou significativa. Outras barreiras confirmadas foram: englobada nos factores de mercado - a percepção do mercado dominado por empresas estabelecidas e englobada nas razões para não inovar - desnecessário pela inexistência de procura/mercado para inovações. É de destacar que não se conseguiram confirmar algumas barreiras devido a não serem estatisticamente significativas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2879
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Gestão
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação.pdf769,42 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo_01.pdf208,91 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo_02.pdf105,78 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo_03.pdf30,84 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo_04.pdf116,52 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo_05.pdf116,93 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo_06.pdf117,04 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.