Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2941
Título: Influência dos Investimentos em Atividades de Inovação e do Apoio Financeiro Público na Cooperação no Âmbito da Inovação: Evidências Empíricas nas Empresas Portuguesas
Autor: Farromba, Pedro Miguel Santos
Orientador: Madeira, Maria José Aguilar
Palavras-chave: Empreendedorismo - Criação de empresas
Criação de empresas - Cooperação
Criação de empresas - Apoio financeiro público
Criação de empresas - Inovação
Data de Defesa: 2012
Resumo: O mundo mudou e tende a mudar todos os dias. A cada dia, a cada hora tudo se altera e novas formas de ver o mundo aparecem e alteram as realidades antes imutáveis que vivemos diariamente. Face ao atual cenário de grande concorrência e de enorme competitividade os empresários têm um e, provavelmente, apenas um caminho: inovar. A inovação, para além da vontade dos empresários, tem custos e necessita, muitas vezes, de alterações na própria estrutura da empresa de modo a torna-la suficientemente flexível para acolher as mudanças que devem ser impostas. Esta capacidade de inovar pode ter varias origens, pode ser interna à empresa, com a criação de núcleos de investigação e desenvolvimento (I&D), pode ser externa à empresa, pode vir da aquisição de equipamentos ou conhecimentos externos, pode vir da formação, do marketing, entre outros. Saber em que medida os apoios públicos locais e regionais, estatais e europeus influenciam a cooperação no âmbito da inovação é um dos objetivo que este trabalho pretende alcançar, percebendo aquilo que tem vindo a ser feito mas também deixando ideias para aquilo que se pode vir a fazer. Paralelamente é também propósito desta investigação analisar a influência dos investimentos em atividades de inovação na cooperação empresarial. Depois de formuladas as hipóteses, recorreu-se à base de dados resultante do Inquérito Comunitário à Inovação – CIS 2008 (Community Innovation Survey). A amostra é criada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e o processo é realizado pelo Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (GPEARI/MCTES), com a supervisão do EUROSTAT. Aplicado o método da regressão logística constata-se que os resultados obtidos mostram que as variáveis integrantes nas atividades de inovação e I&D influenciam a propensão para as empresas cooperarem no âmbito da inovação. Os resultados, também, permitem constatar que existe uma significativa influência do apoio financeiro público nas atividades de cooperação no âmbito da inovação, isto é, existe uma forte relação entre as políticas públicas e a forma como as empresas se relacionam entre si, com os seus clientes e fornecedores e com consultores, universidades, laboratórios e centros de investigação.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2941
Designação: Dissertação apresentada á Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Empreendedorismo e criação de empresas
Aparece nas colecções:FCSH - DGE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Pedro Farromba.pdf495,46 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.