Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/2959
Título: Custos hospitalares e ganhos em saúde associados ao tabagismo parental e bronquiolite infantil
Autor: Luís, Sandra Paula Domingues
Orientador: Almeida, Anabela Antunes de
Palavras-chave: Tabagismo parental - Bronquiolite infantil
Economia de saúde
Data de Defesa: 2010
Resumo: Contextualização: O tabagismo afecta milhões de pessoas por todo o mundo, sendo um dos principais contribuintes para a despesa em saúde, no que respeita ao tratamento das doenças associadas ao tabaco. Nos últimos anos o interesse relativamente ao tabagismo tem vindo a aumentar, principalmente o tabagismo parental, devido à exposição passiva das crianças ao fumo e aos seus malefícios. De facto, em diversos estudos, o tabagismo parental encontra-se associado ao desenvolvimento de bronquiolite infantil, uma infecção das vias respiratórias inferiores, considerada a doença respiratória mais comum em crianças com idade inferior a quatro anos. É a principal causa de internamento nos meses de Inverno, sendo o VSR o principal agente infeccioso envolvido. Diversos investigadores, têm estimado os custos inerentes ao tratamento de doenças relacionadas com o tabagismo referindo gastos elevados, contudo a maioria reportam-se a realidades internacionais. A aposta na prevenção tem evidenciado grandes ganhos em saúde já concretizados, mas muitos outros há ainda a alcançar. Objectivos: Identificar se existe relação entre o tabagismo dos pais e a incidência de bronquiolite infantil; Verificar se o comportamento individual de fumar de um dos progenitores tem influência diferente nos custos hospitalares de internamento; Verificar o número médio de dias de internamento por bronquiolite de acordo com tabagismo ou não dos pais; Calcular o custo médio hospitalar de internamento por bronquiolite vs custo médio hospitalar de uma consulta de cessação tabágica; Traduzir resultados em termos de ganhos para a saúde. Metodologia: Realizou-se um estudo retrospectivo e descritivo-correlacional, envolvendo as crianças internadas com bronquiolite no serviço de pediatria do Centro Hospitalar Cova da Beira, entre o período de 1 de Outubro de 2009 e 31 de Março de 2010. Procedeu-se à recolha de informação através de um questionário aplicado aos pais para caracterização sócio-demográfica e socioeconómica da criança e para identificação dos hábitos tabágicos dos pais. Relativamente aos custos de internamento por cada criança com bronquiolite e dos custos inerentes à consulta de cessação tabágica, os dados foram recolhidos através da base de dados hospitalar e da codificação por GDH. Resultados e Conclusões: Foram incluídas no estudo 62 crianças, 50% do sexo masculino e 50% do sexo feminino, com média de idades de 11,5 meses, quase metade (48,3%) nasceu durante os meses mais frios, entre Outubro e Março. Destas crianças internadas, 53,2% eram filhas de pais não fumadores e apresentaram um tempo médio de internamento de 6 dias, com um custo médio hospitalar por criança internada de 3232,7€. Os custos hospitalares inerentes à consulta de cessação tabágica foram de 79,41€ por doente tratado. Após a análise dos dados observa-se que não existe relação entre o tabagismo dos pais e a bronquiolite infantil. Contudo verifica-se, através da correlação de Pearson, que o comportamento de fumar dos progenitores relaciona-se de forma diferente com os custos de internamento hospitalar, uma vez que a mãe apresenta uma relação significativa (p=0,004), contrariamente ao pai, que não apresenta relação significativa (p=0,678). Através do teste do X2, com valor de significância de 0,242, verifica-se ainda que não existe diferença entre o tempo de internamento das crianças filhas de pais fumadores e das crianças filhas de pais não fumadores. Relativamente, aos custos hospitalares inerentes à consulta de cessação tabágica são em muito inferiores aos custos hospitalares de internamento por bronquiolite. Por fim, conclui-se que existem ganhos em saúde com o incentivo à cessação tabágica, ainda que reduzidos em relação aquilo que seria desejado. Estes ganhos envolvem as mães que deixaram de fumar durante a gravidez, os pais que aceitaram ingressar na consulta de cessação tabágica e as crianças que deixaram de ser expostas pelos pais ao fumo do tabaco.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/2959
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Gestão de Unidades de Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DGE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.