Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3041
Título: Análise económica e mensuração da qualidade de vida em pessoas com DPOC submetidas a reabilitação respiratória
Autor: Saraiva, Paula Cristina Dias Rocha Cavaleiro
Orientador: Almeida, Anabela Antunes de
Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crónica
Patologia respiratória - Qualidade de vida - Avaliação
Data de Defesa: 2012
Resumo: A Doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma patologia que se caracteriza por uma limitação crónica ao fluxo aéreo, com efeitos sistémicos consideráveis, que originam incapacidade, traduzindo-se numa deterioração progressiva da qualidade de vida do doente. A par do tratamento farmacológico, a reabilitação respiratória constitui um dos pilares fundamentais no seu tratamento. O termo qualidade de vida tem adquirido cada vez mais importância no contexto científico, expressando o grau de limitação e desconforto motivado por determinada doença. A par disto, têm surgido instrumentos específicos que permitem avaliar a qualidade de vida de pessoas com patologias do foro respiratório, sendo a sua utilização crescente. Este estudo teve como principal objetivo mensurar o nível de qualidade de vida de doentes com DPOC submetidos a reabilitação respiratória e respetivo impacto económico. A investigação empírica assentou num estudo transversal, perfilhando uma orientação correlacional, baseado numa abordagem de natureza quantitativa, tendo por base a aplicação do questionário específico SGRQ a cada participante. Foram incluídos neste estudo 80 indivíduos com DPOC, dos quais 38 realizam reabilitação respiratória, e 42 não. Os resultados foram tratados no programa estatístico SPSS (versão 19). Dos 80 doentes que participaram do estudo, 65 eram do sexo masculino e 15 do sexo feminino. A média de idade foi de 70,89 anos. Os resultados obtidos com o questionário SGRQ revelaram que todos os participantes neste estudo apresentam um comprometimento da sua qualidade de vida em todos os domínios (sintomas, atividades, impacto). Na qualidade de vida total, apuraram-se valores médios percentuais de qualidade de vida de 60,38%. Paralelamente, apurou-se existir um maior comprometimento da qualidade de vida nos doentes que não foram submetidos a reabilitação respiratória, apresentando, valores médios percentuais superiores em todos os domínios: sintomas (58,87%); atividade (78,31%); impacto (53,58%) e QDV total (62,16%).
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3041
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Gestão de Unidades de Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DGE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese DPOC - UBI - CD.pdf1,2 MBAdobe PDFVer/Abrir
ICD - UBI (final).pdf379,73 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.