Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3128
Título: Música e a composição do espaço arquitectónico : Martin Schmid (1694-1772) e Iannis Xenakis (1922-2001), duas épocas, duas mentalidades
Autor: Fernandes, Ricardo Delmar Gaspar
Orientador: Mathias, Michael
Palavras-chave: Xenakis, Iannis, 1922-2001 - Vida e obra
Schmid, Martin, 1694-1772 - Vida e obra
Arquitectura - Música
Arquitectura - Proporções
Arquitectura - Composição
Arquitectura - Desenho
Arquitectura - Construção
Data de Defesa: 2013
Resumo: Desde a antiguidade, é evidente o fascínio humanopela compreensão da harmonia cósmica e a interligação dos seus elementos. A necessidade de dar resposta a estas questões, abriu hipótese para a experimentação e realização de estudos sobre métodos de intersecção artística. A relação entre a música e arquitectura, demonstra como duas artes e correntes de pensamento se “envolveram” ao longo dos tempos em projectos, propostas e tangências de inúmeros pensadores. Neste sentido, infindáveis soluções, para inserir leis formais do “microcosmo” da música no “macrocosmo” da arquitetura foram criadas, procurando definir leis objectivas da beleza arquitectónica. Nesta dissertação vai ser apresentado a visão de dois arquitectos multifacetados, que exploraram as aplicabilidades, práticas e teóricas, do paradigma música/arquitectura. Numa primeira capítulo, analizou-se o Missionário Jesuíta Martin Schmid (1694-1772), que na época barroca, utilizou o lado prático e funcional da relação música/arquitectura. Entre 1730 e 1767 concebeu igrejas nas missões de San Rafael de Velasco, Concepcíon e San Francisco Javier, na região de Chiquitania (Bolívia), nas quais utilizou métodos matemáticos da composição musical para calcular a proporcionalidade dos vários elementos arquitectónicos. Por sua vez, no segundo capítulo, exploram-se as metodologias de Iannis Xenakis (1992-2001), arquitecto, compositor e engenheiro contemporâneo. Os “encontros” de Xenakis com a dualidade música/arquitectura intersectaram-se em duas realidades. Uma das realidades caraterizada como prática, física, palpável, coincidente com os trabalhos no atelier ATBAT de Le Corbusier. A outra das realiadades é teórica e conceptual, em que desenvolve estudos sobre a definição do espaço arquitectónico e a permutação dos campos de acção da música, adentrase na subjectividade do espaço físico e material, e reformula as fronteiras que o delimitam. Através da introdução de cálculos probabilísticos e aleatórios na composição musical contemporânea e o aparecimento de novas tecnologias computacionais, Iannis Xenakis, tenta transcender o audivél para o espaço físico e introduzir novas premissas na construção arquitectónica. Numa última reflexão e de modo a testar a aplicabilidade das teorias e métodos de concepção artística de ambos arquitectos, alguns processos de desenho arquitectónico foram reavaliados e empregues na tentativa de conceber um exemplo prático.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3128
Designação: Mestrado em Arquitectura
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ricardo Fernandes - Música e a composição do espaço arquitectónico.pdfDocumento principal9,95 MBAdobe PDFVer/Abrir
cartaz leuca corridor.pdfCartaz1,16 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.