Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3139
Título: Monitorização de reações adversas de novos anticoagulantes orais através de um sistema de farmacovigilância ativa implementado nos Serviços Farmacêuticos do CHCB: experiência profissionalizante na vertente de farmácia comunitária e investigação
Autor: Pereira, Filipa Ferreira
Orientador: Fonseca, Maria Olímpia
Freire, Idalina
Palavras-chave: Antivitamínicos K
Farmacovigilância
Reações Adversas Medicamentosas (RAM)
Tromboembolismo venoso
Data de Defesa: 2013
Resumo: Este trabalho encontra-se dividido em duas partes distintas, sendo que a primeira incide sobre a vertente de investigação desenvolvida e a segunda sobre o relatório de estágio efetuado em farmácia comunitária. O primeiro capítulo do relatório relacionado com a vertente de Investigação pretende descrever o projeto intitulado em: “Monitorização de Reações Adversas de novos anticoagulantes orais através de um sistema de Farmacovigilância Ativa implementado nos serviços Farmacêuticos do CHCB”. Face às limitações dos antivitamínicos K, resultantes do seu lento início de ação e, sobretudo, das múltiplas interações com fármacos e alimentos e risco de potenciais complicações hemorrágicas, a investigação farmacológica centra-se atualmente no desenvolvimento de novas moléculas inibidoras do sistema de coagulação (trombina e fator Xa). Estas novas moléculas apresentam um padrão farmacodinâmico e farmacocinético previsível. Os anticoagulantes orais estudados (Dabigatrano e Rivaroxabano) foram recentemente investigados em ensaios clínicos de fase III com o objetivo de provar se realmente preenchem as expectativas de um anticoagulante ideal, no que diz respeito a um perfil de eficácia/segurança mais favorável, sem a necessidade de controlo da coagulação, melhorando, desta forma, a qualidade de vida dos pacientes. No entanto, ainda existem muitas questões da vida real por responder e alguns aspetos da prática clinica como a segurança do tratamento a longo prazo, ausência de antídoto, custo-eficácia na realidade, aplicabilidade em doentes com FA e TEV que permanecem por resolver. Embora algumas RAM sejam menores, resolvendo-se sem sequelas, outras como hemorragias intracranianas ou fatais podem causar incapacidade permanente ou morte, sendo uma causa significativa de morbilidade e mortalidade, contribuindo para a incidência de efeitos adversos, resultando em custos de saúde aumentados. A eficácia e segurança a longo-prazo destes novos fármacos também ainda não são conhecidas, pelo que são necessários estudos adicionais. A investigação desenvolvida neste trabalho visa monitorizar as reações adversas dos novos anticoagulantes orais e através da implementação de métodos de Farmacovigilância ativa é possível promover a detecção e sua caracterização. Pretende-se prevenir ou reduzir a probabilidade de ocorrência de RAM associada à exposição ao medicamento, e no caso de ocorrer, minimizar a sua gravidade. Esta monitorização contínua da segurança dos medicamentos na fase pós-comercialização, é essencial para assegurar um balanço benefíciorisco aceitável.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3139
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Ciências Farmacêuticas
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatório de Estágio filipa pereira.pdf13,33 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.