Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3223
Título: Artrite reumatoide: impacto da terapêutica com agentes biológicos nos parâmetros clínicos e laboratoriais
Autor: Monteiro, Ana Alexandre Chegão Pissarra
Orientador: Fonseca, Ana Mafalda Loureiro
Ratado, Paulo Manuel Tavares Vicente Beja
Palavras-chave: Doenças auto-imunes - Artrite reumatóide
Artrite reumatoide - Terapêutica convencional
Artrite reumatóide - Terapêutica biológica
Artrite reumatóide - Monitorização terapêutica
Data de Defesa: 2013
Resumo: A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença autoimune, inflamatória crónica sistémica, de etiologia desconhecida e está associada à incapacidade progressiva, complicações sistémicas, morte prematura e elevados custos socioeconómicos. O tratamento farmacológico da AR pode ser realizado em monoterapia ou em combinação e inclui o uso de anti-inflamatórios não-esteroides, glucocorticoides e fármacos antirreumáticos modificadores da evolução da doença. Nas últimas décadas surgiram os fármacos biológicos e estes vieram revolucionar o tratamento das doenças autoimunes, nomeadamente a AR. Este projeto de investigação é num estudo retrospetivo desde o ano de 2008, até ao presente ano e a amostra inicial todos os doentes com AR, seguidos nas Consultas de Doenças Autoimunes da Unidade Local de Saúde da Guarda. Assim, o presente trabalho teve como objetivo analisar o impacto da terapêutica com agentes biológicos no Disease Activity Score (DAS28) e em diferentes parâmetros laboratoriais em doentes com AR. Procedeu-se a uma análise dos perfis de evolução da doença e das correlações entre o DAS28 e diferentes parâmetros laboratoriais. Os parâmetros laboratoriais foram analisados no Laboratório de Análises Clínicas do Serviço de Patologia Clínica da Unidade Local de Saúde da Guarda de acordo com as normas e critérios definidos para a avaliação de cada parâmetro. Concluiu-se que a terapêutica convencional e a terapêutica biológica apresentam uma eficácia semelhante, nomeadamente no que diz respeito ao DAS28 e também à generalidade dos parâmetros laboratoriais avaliados. No entanto, no que diz respeito à sintomatologia, o tratamento com fármacos biológicos conduz a melhorias significativas, com um aumento global da qualidade de vida dos doentes. O estudo da evolução do DAS28 e de parâmetros laboratoriais ao longo do tempo permitiu observar a variabilidade interindividual existente nos doentes com AR, o que pressupõe a prática de uma “medicina personalizada”. No que diz respeito à correlação entre parâmetros observou-se que existe uma correlação positiva entre o DAS28 e a velocidade de sedimentação e uma correlação negativa entre o DAS28 e a hemoglobina nos grupos analisados. Relativamente aos parâmetros imunológicos e à sua correlação com o DAS28, os resultados sugerem que estes parâmetros não apresentam capacidade de prognóstico da doença e monitorização da terapêutica. Em suma, do ponto de vista dos parâmetros laboratoriais e do DAS28 não se observa um impacto significativo do tratamento com fármacos biológicos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3223
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Mestrado.pdf2,1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.